sábado, 23 de janeiro de 2010

www.maosconsagrada.com.br


Bem vindo ao site do Ministério com Surdos Mãos Consagradas, aqui você encontrará informações sobre o nosso ministério e também conteúdos relacionados aos Surdos e a LIBRAS.
NOSSA HISTÓRIA
O Ministério com Surdos Mãos Consagradas, surgiu no ano de 1996, por iniciativa do pastor Joel Freire da Costa e um grupo de jovens da Igreja Evangélica Assembléia de Deus, ministério do Belém - Sede, interessados no mundo dos Surdos.Isto aconteceu quando um grupo de Surdos da cidade de Marília, interior de São Paulo, se apresentou em nossa Igreja mostrando como era o trabalho. Daí a chama do amor as almas tocou fortemente no coração do Pastor e destes jovens que se propuseram iniciar um ministério. A partir de então, visitando outras igrejas que têm ministério com surdos e também contratando um profissional que pudesse ensinar a LIBRAS( Língua Brasileira de Sinais), para os interessados e assim começar o trabalho de evangelismo e interpretação dos cultos.Os novos “Obreiros com Surdos” começaram a participar de encontros estaduais e nacionais, onde havia troca de experiências com outros ministérios buscando novas estratégias para alcançarmos estas pessoas que vão além de ‘”orelhas que não escutam”, e sim, almas que precisam de salvação.E em cumprimento do Ide de Jesus, fomos aos lugares onde eles costumam se reunir, e continuamos divulgando o curso em outras igrejas, pois um de nossos objetivos é que em cada igreja que um surdo entrar, ele possa cultuar da mesma forma que nós ouvintes, porém com a presença de um intérprete de LIBRAS.Hoje podemos testemunhar de muitos ministérios que foram criados a partir do Mãos Consagradas.Louvamos a Deus pelas vidas que Ele tem levantado para este tão precioso trabalho.Que Deus, em Cristo vos abençoe.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO EM 2010 NO SEDES




INSCRIÇÕES ABERTAS

INSCRIÇÕES ON-LINE - ACESSE

http://www.sedes.org.br/newsite/default.aspx
Abordagens Terapêuticas na Adolescência: Temas Atuais
Arte TerapiaAtendimento em Orientação Familiar e Processos Psicoterapêuticos
Cinesiologia Psicológica – Integração Físico-Psíquica
Clínica Psicanalítica: Conflito e Sintoma
Clínica Psicopedagógica: Interseção Teoria e Prática
Educação Continuada em Psicodrama Curso de Psicodramatista DIDATA – NÍVEL II
Educação Continuada em Psicodrama Curso de Psicodramatista DIDATA SUPERVISOR – NÍVEL III
Eutonia
Família: Funcionamento, Presença e Compromisso (Dinâmicas Familiares)
Formação em Psicanálise *
Formação em Psicopedagogia: Atendimento Clínico e Institucional
Fundamentos da Psicanálise e sua Prática Clínica
Gerontologia Social
Gestalt Terapia
Intervenções em Situações Limite Desorganizadoras
Introdução à Intervenção Precoce na Relação Pais-Bebê
JUNG e Corpo Especialização em Psicoterapia Analítica e Abordagem Corporal Módulo - I
JUNG e Corpo Especialização em Psicologia Junguiana e Abordagem Corporal Módulo - II
LABAN - Arte do Movimento
Orientação Profissional e de Carreira
Psicanálise
Psicanálise da Criança
Psicodrama *
Psicologia do Esporte *
Psicologia Jurídica
Psicologia Simbólica Junguiana
Psicologia Social das Organizações
Psocopatologia Psicanalítica e Clínica Contemporânea
Psicopedagogia Institucional - aprendizagem nas organizações de educação, saúde, empresa e no terceiro setor*
Psicossomática *
Psicoterapia Breve Psicanalítica
Psicoterapia Psicanalítica de Casal
Violência Doméstica: O Fenômeno e as Possibilidades de Intervenção
WINNICOTT: Experiência e Pensamento

______________________________________________________________
ORIENTAÇÕES PARA INSCRIÇÃO
INTERNET:Preencher a ficha de inscrição no site www.sedes.org.br, na seção Cursos de Especialização e Aperfeiçoamento.Pagamento da inscrição: boleto bancário (o pagamento por boleto poderá ser feito até 22 de janeiro de 2010 para todos os cursos), cartão de crédito (VISA) ou transferência bancária à vista (apenas para correntistas do Banco do Brasil).
PESSOALMENTE:Na Secretaria do Instituto Sedes Sapientiae, de segunda a sexta-feira, das 09h00 às 20h00 e aos sábados, das 09h00 às 12h00, na Rua Ministro Godói, 1484, Perdizes, São Paulo, SP.Pagamento da inscrição: dinheiro ou cheque.
CORREIO:O interessado que não resida na cidade de São Paulo poderá fazer a inscrição pelo correio, via sedex. Solicite a ficha de inscrição pelo e-mail http://br.mc1120.mail.yahoo.com/mc/compose?to=secretaria@sedes.org.br&subject=%22Divulga%E7%E3o%20RedePsi%22.Enviar ficha impressa e preenchida, documentos necessários e cheque nominal a Associação Instrutora da Juventude Feminina, para a Secretaria do Sedes Sapientiae, na R. Ministro Godói, 1484, São Paulo, SP, CEP 05015-900. Telefone da Secretaria: (11) 3866-2730.
TAXA DE INSCRIÇÃO: R$ 50,00 (cinquenta reais)

INSTITUTO SEDES SAPIENTIAE
RUA MINISTRO GODÓI, 1484 - PERDIZES - SÃO PAULO - SP
TEL. (11) 3866-2730 / 3866-2731 / 3866-2734
http://br.mc1120.mail.yahoo.com/mc/compose?to=sedes@sedes.org.br&subject=%22Divulga%E7%E3o%20RedePsi%22
http://www.sedes.org.br/

Eventos 2010


9° Congresso Internacional de Educação do Grande Rio Desafios e possibilidades da Ação Docente

5 e 6 de Fevereiro de 2010 ABEU Belford Roxo Belford Roxo-RJ Palestrantes:
Pierluigi Piazzi – ITÁLIA Ana Ruth Starepravo- PR Cleo Fante -DF Geraldo de Almeida-PR Julio Furtado- RJ Rosita Edler- RJ Sandra Bozza - RJ
Vagas limitadas!!!
MAIS INFORMAÇÕES
TELEFONE CONTATO: (31)3225-7678 OU 3564-0278

Cursos de Pós Graduação no CEPUERJ -2010 - Lista completa em www.cepuerj.uerj.br

Pós - Graduação:

ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS Especialização em Logística Empresarial ARTES Mestrado em Artes BIOLOGIA Doutorado em Biociências Doutorado em Ecologia e Evolução Especialização em Biologia Molecular Humana Inscrições abertas ! Especialização em Ensino de Ciências Mestrado em Biociências Mestrado em Biologia Vegetal Mestrado em Ecologia e Evolução CIÊNCIAS MÉDICAS Especialização em Angiologia Inscrições abertas ! Especialização em Cirurgia Geral Especialização em Cirurgia Plástica Inscrições abertas ! Especialização em Dermatologia Especialização em Endocrinologia, Diabetes e Metabologia Inscrições abertas ! Especialização em Neurologia Especialização em Parasitologia Clínica Especialização em Pneumologia e Tisiologia Inscrições abertas ! Especialização em Psicologia Médica Inscrições abertas ! Especialização em Psiquiatria Inscrições abertas ! COMUNICAÇÃO SOCIAL Especialização em Jornalismo Cultural Inscrições abertas ! Especialização em Pesquisa de Mercado e Opinião Pública Inscrições abertas ! DESENHO INDUSTRIAL Mestrado em Design DIREITO Especialização em Direito Especial da Criança e do Adolescente Inscrições abertas ! EDUCAÇÃO Doutorado em Políticas Públicas e Formação Humana Especialização em Administração e Planejamento da Educação Especialização em Avaliação Educacional Especialização em Dificuldades de Aprendizagem: Prevenção e Reeducação Inscrições abertas ! Especialização em Educação Básica - (Campus São Gonçalo) Especialização em Educação com Aplicação da Informática Inscrições abertas ! Especialização em Educação e Reeducação Psicomotora Inscrições abertas ! Especialização em Organização Curricular e Prática Docente na Educação Básica Mestrado em Educação - (Campus São Gonçalo) Mestrado em Educação, Cultura e Comunicação - (Campus Baixada Fluminense) Mestrado em Políticas Públicas e Formação Humana EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS Especialização em Educação Física Escolar Inscrições abertas ! ENFERMAGEM Especialização em Enfermagem do Trabalho Especialização em Enfermagem em Estomaterapia Especialização em Enfermagem Intensivista Especialização em Gestão em Saúde da Família Mestrado em Enfermagem ENGENHARIA Especialização em Engenharia de Produção com Ênfase em Gestão de Projetos Inscrições abertas ! Especialização em Engenharia de Produção com Ênfase em Gestão de Projetos (Campus Resende) Especialização em Engenharia do Petróleo e Gás Natural Inscrições abertas ! Especialização em Engenharia Econômica Inscrições abertas ! Especialização em Engenharia Econômica (Campus Resende) Especialização em Engenharia Mecatrônica Especialização em Engenharia Sanitária e Ambiental Inscrições abertas ! Especialização em Gestão Estratégica do Conhecimento e da Inovação Mestrado em Engenharia Civil Mestrado em Engenharia de Computação Mestrado em Engenharia Eletrônica

Cursos de Idiomas no CEPUERJ em 2010

Cursos Livres de Idiomas – INGLÊS e ALEMÃO
Inscrições de 01 a 05/03/2010 **
** As vagas podem estar preenchidas antes do dia 05/03/2010.
Início das aulas - 1 º semestre de 2010 :Sábados - 13/03/2010 a 10/07/2010 / 2ªs e 4ªs - 15/03/2010 a 28/06/2010 / 3ªs e 5ªs - 16/03/2010 a 06/07/2010
INGLÊS REGULAR LEITURA EM INGLÊS CONVERSAÇÃO EM INGLÊS ALEMÃO REGULAR CADASTRO DE INTERESSE
INGLÊS REGULAR
Ementa:Desenvolvimento das quatro habilidades lingüísticas(compreensão oral,fala,escrita e leitura),através de prática e atividades contextualizadas relativas ao conteúdo programático do material didático adotado.
Objetivos : Proporcionar ao aluno condições de desenvolver as quatro habilidades lingüísticas (compreensão oral,fala,escrita e leitura) a fim de que ele possa atingir o nível intermediário 2 de proficiência da língua inglesa,possibilitando comunicação em inglês no ambiente social e/ ou profissional,por meio de utilização adequada de estruturas simples e semi-complexas.
Horário: Dias da semana : 2ªs e 4ªs ou 3ªs e 5ªs ( no período da tarde ) ou aos Sábados ( nos períodos da manhã ou tarde )
Duração:
Carga horária de 270 horas/aula , em 6 semestres letivos ( em seis níveis ou conforme classificação nos testes de nivelamento )
Requisito mínimo:
Idade mínima de 14 anos.
Valor: R$ 468,00 ou 4 X R$117,00 no semestre ou R$421,20 à vista.( já com 10% de desconto )
LEITURA EM INGLÊS
Ementa:
Desenvolvimento da habilidade de leitura, análise e discussão de textos acadêmicos e jornalísticos contemporâneos em língua inglesa, referentes a diversas áreas de conhecimento, como um processo ativo de construção de sentido, englobando várias estratégias e técnicas. Utilização eficiente do dicionário.
Objetivos:
Desenvolver no aluno a habilidade de ler, analisar e discutir textos acadêmicos e jornalísticos contemporâneos em língua inglesa referentes a diversas áreas de conhecimento.
Incentivar a leitura como um processo ativo de construção de sentido a que o leitor chega por meio de antecipações, confirmações e/ou reformulações de hipóteses, inferências, utilização de conhecimentos prévios, usos de informações não-lingüísticas, como dados iconográficos (ilustrações, gráficos, tabelas, pontuação, diagramação, efeitos e formas tipográficos etc.), e não somente por meio da soma do significado de todas as palavras do texto.
3. Reforçar a capacidade de compreensão das estruturas morfossintáticas do idioma (ordem das palavras, tempo e aspecto verbais, a voz passiva, valores dos prefixos e sufixos, elementos de coesão e coerência) e de expansão lexical (áreas semânticas).
Horário:
Aos Sábados ( nos períodos da manhã ou tarde )
Duração:
Um semestre letivo,com carga horária de 45 horas / aula ( em nível único,conforme classificação nos testes de nivelamento).
Requisito Mínimo:
Idade mínima de 18 anos.
Valor:
R$ 468,00 ou 4 X R$117,00 no semestre ou R$421,20 à vista (já com 10% de desconto).

CONVERSAÇÃO EM INGLÊS
EMENTA:Desenvolvimento das duas habilidades lingüísticas (compreensão oral/auditiva e fala), através de prática e atividades contextualizadas relativas ao conteúdo programático do material didático adotado.
OBJETIVOS:Proporcionar ao aluno condições de desenvolver as duas habilidades (compreensão oral/auditiva e fala) a fim de que ele possa atingir o nível intermediário 2 (ou avançado) de proficiência da língua inglesa, possibilitando comunicação em inglês no ambiente social e/ou profissional, por meio de utilização adequada de estruturas simples e semi-complexas.
Horário:
Aos Sábados ( nos períodos da manhã ou tarde )
DURAÇÃO:Um semestre letivo, com carga horária de 45 horas/aula (em nível único, conforme classificação nos testes de nivelamento).
REQUISITO MÍNIMO:
Domínio de inglês avançado e idade mínima de 14 anos.
VALOR:
R$468,00 ou 4 X R$117,00 no semestre ou R$421,20 à vista (já com 10% de desconto).

ALEMÃO REGULAR EMENTA:Desenvolvimento das quatro habilidades lingüísticas (ouvir, falar, ler e escrever), através de prática e atividades contextualizadas relativas ao conteúdo programático do material didático adotado.
OBJETIVOS:Proporcionar ao aluno condições de desenvolver as quatro habilidades lingüísticas (ouvir, falar, ler e escrever) a fim de que ele possa atingir o nível intermediário da língua alemã, possibilitando a comunicação em alemão em situações do dia-a-dia, por meio de utilização adequada de estruturas simples e semi-complexas.
Horário:Aos Sábados ( nos períodos da manhã ou tarde )
Duração:
Quatro semestres letivos,com carga horária de 180 horas / aula ( em quatro níveis, conforme classificação nos testes de nivelamento ).
Requisito mínimo:
Idade mínima de 14 anos.
Valor: R$468,00 ou 4 X R$117,00 neste semestre ou R$421,20 à vista (já com 10% de desconto).


CADASTRO DE INTERESSE - Formulário de Interesse
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Os Cursos Regulares de Inglês (níveis 3, 4 e 5), de Inglês para Conversação e de Leitura em Inglês exigem Teste de Nivelamento para quem já tem algum conhecimento e deve ser agendado pelo telefone até o dia 05/02/2010. Datas: 24 e 25/02/2010 – 4ª ou 5ª feira, às 15h ou às 18h. 27/02/2010 - Sábado, às 9h ou às 13h
Haverá também Teste de Nivelamento para os Níveis 2 e 3 do Curso Regular de Alemão, no dia 27/02/2010, às 9h.
Mais informações e marcação do teste: Rua São Francisco Xavier, 524 – 11º andar – Sala 11.010, Bloco F de 9 às 17h, de 2ª a 6ª. feira. Tels.: 233.42027/ 233.42038 / 233.40639
Local das inscrições: 1º andar, Bloco A, Sala 1006, de 9 às 17h. **As vagas podem estar preenchidas antes do dia 05/03/2010.

www.cepuerj.uerj.br/idiomas idiomas@uerj.br NEL - Núcleo de Ensino de Línguas







Cursos de extensão em 2010 no CEPUERJ

Curso de Educação Ambiental e Agenda 21 Escolar: Formando Elos de Cidadania - À Distância ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS Comércio Exterior Conjuntura de Negócios Construindo Talentos - Empreendedorismo Corporativo Finanças Corporativas Finanças Públicas Fundamentos de Gerenciamento de Projetos Fundamentos Específicos de Planejamento e Finanças Fundamentos Gerais de Planejamento e Finanças Gestão da Inovação Tecnológica - Princípios Básicos Gestão de Perícia Judicial Gestão de Projetos Gestão de Projetos Tecnológicos de Inovação Gestão Estratégica de Custos Iniciação à Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação Logística Ambiental Logística Internacional: Estratégias para Redução de Custos Logísticos Marketing de Relacionamento - Gestão Tecnológica do CRM Marketing Integrado de Recursos Humanos Marketing para Instituições Públicas Negociações Empresariais

NOTÍCIAS DAS ACADEMIAS DE ENSINO


Mestrado profissional:
curso acadêmico que forma para o mercadoHá algum tempo, era comum fazer a distinção entre os graduados que, recém-formados, se dedicavam à sua profissão ocupando um espaço no mercado de trabalho e os que continuavam no meio acadêmico, aprofundando os estudos, obtendo títulos e pesquisando. Hoje em dia, entretanto, cada vez mais dá para misturar as duas coisas, e os melhores profissionais das empresas têm também ótimas qualificações acadêmicas. Seguem essa tendência os cursos de mestrado profissional, que enfatizam estudos e técnicas para que o aluno alcance um alto nível de qualificação direcionada às demandas do mercado.Em junho deste ano, o Ministério da Educação publicou no Diário Oficial da União a Portaria Normativa n° 7, que dispõe sobre o mestrado profissional no âmbito da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), órgão responsável por regular a oferta de cursos e avaliá-los. Antes dessa publicação, a modalidade de pós-graduação – que começou a ser oferecida no Brasil no fim dos anos 1990 – ainda sofria com a falta de regulamentação, o que fazia com que ela não fosse aceita ou fosse “vista com maus olhos” em muitas instituições de ensino, sobretudo nas públicas, já que boa parte dos novos cursos de mestrado profissional são implementados por universidades particulares.A Portaria define o mestrado profissional como modalidade de formação pós-graduada stricto sensu (a mesma do mestrado acadêmico e do doutorado). O título de mestre obtido nos cursos de mestrado profissional reconhecidos pela Capes e pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) tem validade nacional e concede ao seu detentor os mesmos direitos que os obtidos com a titulação por meio de mestrado acadêmico – inclusive a qualificação necessária para cursar o doutorado.Ainda segundo o documento, a oferta de cursos com vistas à formação no mestrado profissional terá ênfase em princípios como o de aplicabilidade técnica e flexibilidade operacional. A formação deve visar à exposição dos alunos aos processos da utilização aplicada dos conhecimentos e o exercício de inovação, com a valorização da experiência profissional.Em entrevista concedida ao jornal O Globo (publicada em 21/6/2009), o presidente da Capes, Jorge Guimarães, afirmou que a principal característica do mestrado profissional, e também a que o distingue do mestrado acadêmico, é que ele tem um foco específico de resolução de problemas. De acordo com Guimarães, o perfil do aluno é de uma pessoa mais velha, com bastante experiência profissional, e que não deseja seguir carreira acadêmica.

Fontes:

Capes (www.capes.gov.br), Diário Oficial da União -23/6/2009 (www.in.gov.br), Portal Andifes (www.andifes.org.br), Guia do Estudante (www.guiadoestudante.abril.com.br), Globo Online (www.oglobo.com.br) e Terra Educação (www.noticias.terra.com.br/educacao)Fonte:

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Espaço Acadêmico



POSSIBILIDADES DA AVALIAÇÃO DIALÓGICA

Layane C. de Souza, Pedagoga pela Faculdade Gama e Souza,
Pós- Graduando em Pedagogia Empresarial pelo Instituto
A Vez do Mestre da Universidade Cândido Mendes,
Pesquisadora e Palestrante do CH Penha Projetos Educacionais


I- INTRODUÇÃO

Atualmente vivemos em um mundo onde as realidades sociais ainda se diferem muito. Em nosso próprio país encontramos locais super desenvolvidos e outros em condições desumanas. E esta realidade está presente em nossa sala de aula. E como avaliar pessoas com vivências tão diferentes, mas que estão em um mesmo tempo e espaço? Qual a diferença entre a avaliação da educação tradicional e a avaliação na educação construtivista? Será que hoje sabendo desta diferente realidade em nossa sociedade devemos ainda nos colocar como donos do saber ou aceitar que estamos sempre em constante aprendizagem e que a troca, a prática e o diálogo são instrumentos que nos permitem ser mediadores deste constante processo de aprendizagem para nossos alunos?
Se as realidades são diferentes, as vivências, o desenvolvimento, o saber e o querer também são. Olhar para a avaliação como processo de construção e não seletora requer um entendimento desta sociedade e principalmente humildade para saber que somos todos diferentes e que a educação também requer métodos e atividades diversificadas de acordo com a realidade de cada um. Devemos olhar para a turma como um todo sem se esquecer desta individualidade de cada um seja ele adulto, criança, deficiente físico ou mental.

II- O QUE É AVALIAÇÃO?

Hoje a avaliação está relacionada diretamente com o processo ensino-aprendizagem. Quando se fala em avaliação não mais temos que pensar em um meio de punição ou de medição do nível de conhecimento do aluno.Avaliar é verificar se os objetivos, planejamentos e métodos utilizados obtiveram o resultado esperado e direcionar esses resultados a ações que possam melhorar a efetividade do processo.
De acordo com Paulo Freire, "não se pode separar a prática da teoria, autoridade de liberdade, ignorância de saber, respeito ao professor de respeito aos alunos, ensinar de aprender".
Então se avaliar é a aferição do processo ensino aprendizagem, o professor não deve priorizar o resultado e sim o andamento do processo valorizando cada etapa como uma construção do indivíduo.
A verdadeira educação consiste na educação problematizadora ou conscientizadora, objetiva o desenvolvimento da consciência crítica e a liberdade. A dialogicidade é a essência desta educação. O educador e o educando são, portanto, sujeitos de um processo que crescem juntos. (Paulo Freire)
Diferente da educação tradicional o professor hoje não é o centro do processo educacional. Antes os resultados das avaliações dependiam somente do aluno. Se o aluno não conseguisse alcançar os objetivos era porque ele não tinha sido um bom aluno estudando e prestando atenção no professor, já que ele era o dono do saber e o aluno um depósito do conhecimento.
Hoje o aluno é a peça principal do processo de aprendizagem, cabe ao professor procurar a melhor maneira de favorecer a aprendizagem do aluno e valorizar a importância desta coletividade e da troca, pois temos em nossas salas de aula uma diversidade muito grande cultural e social. Estas trocas trazem aprendizado tanto para os alunos quanto para os professores.
Segundo OSÒRIO, 2002, “O modelo classificatório de avaliação onde os alunos são considerados aprovados ou reprovados oficializa a concepção de sociedade excludente adotada pela escola”. A forma de avaliar e os resultados obtidos pela avaliação não deve refletir o modelo social excludente e competitivo que ainda temos.
Pelo contrário é a escola forma valores a partir de seus parâmetros, de seus trabalhos pedagógicos seja com os alunos, com a família e com a sociedade. Ela é um local onde pode e deve formar opiniões e se repetimos dentro dela modelos sociais decadentes, exclusivos estaremos formando cidadãos decadentes e exclusivos.
Nesta sociedade tão diversificada podemos nos deparar com educandos de realidades sociais, econômicas e culturais diferentes, alguns tem mais facilidade aos meios de comunicações, até mais que muitos professores, e outros mal conseguem assistir a um jornal.
Esta troca de informações favorece o crescimento da turma e nós como mediadores deste processo temos que valorizar a coletividade e avaliar toda esta participação propondo atividades que possa favorecer, por exemplo, a troca entre os alunos que não tem tanto acesso as informações com alunos que tem mais acesso e problematizações com temas atuais e transversais tão importantes para a formação do cidadão e sua vida em sociedade.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

LEGENDA NACIONAL - PARTICIPEM - ASSINEM

www.legendanacional.com.br



Este site é parte da campanha pela legenda em filmes nacionais para acesso dos deficientes auditivos a esses produtos culturais. Quem é deficiente auditivo não entende os filmes brasileiros e os desenhos animados, pois não os escuta completamente e eles não têm legenda.A iniciativa é importante pois essa campanha é rara no Brasil, devido à falta de consciência sobre a questão do direito ao lazer para todos. As pessoas ficaram sabendo e comentaram que nunca tinham parado para pensar nesse problema. É natural, para elas que ouvem, que o filme brasileiro não precise ter legenda em português. Por isso, as pessoas estão cada vez mais interessadas em apoiar esse movimento.

POLÍTICAS PÚBLICAS: O ORIENTADOR EDUCACIONAL E OS PCNS




CLERIAN DA SILVA PEREIRA, Pedagoga,
Mestre em Educação pela UNIVERSO,
Docente do Ensino Superior,
Autora de Capítulo do Livro " Diferentes Contexto em Educação: Encontro e Adaptações

RESUMO
Este artigo analisa a trajetória e a prática do Orientador Educacional, no Brasil, comprovando o seu compromisso com a Educação e as políticas públicas, onde enfatizamos a perspectiva pedagógica e tendo com base os PCNs. Na busca de ajudar aos alunos a terem uma participação mais crítica e consciente no meio em que o mesmo se insere.

PALAVRAS-CHAVE
Orientação Educacional, pedagógico, políticas públicas e PCNs.

ABSTRACT
This paper analyzes the history and practice of Educational Consultant in Brazil, confirming their commitment to education and public policies, which emphasize the educational perspective and taking based NCPs. In seeking to help the students to take a more critical and conscious way in which it operates.

KEYWORDDS
Educational Guidance, teaching, public policy and PCNs.




“Formar, hoje, o homem,
é muito mais do que ensinar a ler e a escrever;
formar significa aprender a pensar a viver o cotidiano
na construção permanente da cidadania”.
Mirian Paura S. Z. Grinspun



INTRODUÇÃO

A Orientação Educacional, no nosso país, percorreu um longo caminho comprometido com a educação e com as “políticas” vigentes. Podemos dizer de um modo geral, que a orientação teve início nos primórdios da humanidade, sendo realizada pelos pais, pelos membros mais velhos da família, pelos chefes da tribo, pelos chefes religiosos etc. Todo o processo da Orientação manteve-se, sempre, estreita relação com as tendências pedagógicas, sendo o seu trabalho desenvolvido a partir do que dela se esperava nas diversas concepções.

A complexidade da vida atual, a aceleração da tecnologia, as próprias transformações sociais e econômicas foram, pouco a pouco, ampliando e modificando o papel da escola e a posição do indivíduo dentro da escola e da sociedade. A Orientação Educacional desenvolveu-se principalmente dentro das escolas (início dos trabalhos com Frank Parsons, em 1908, nos EUA) e mesmo que suas atividades, hoje, se tenham alargado até o âmbito das empresas, a idéia de orientação acha-se muito associada àquelas instituições.

Os objetivos da Orientação Educacional estão intrinsecamente ligados aos objetivos gerais da educação e, no contexto da escola, associa-se a esta nos seus objetivos mais específicos. Isto, porém, não quer dizer que a orientação não tenha seus objetivos próprios.

A importância da Orientação Educacional foi sendo ampliada; pois, à medida que ela ajuda a educação, ajuda, também a responder às reclamações da sociedade atual: procura constante de valores pelos jovens; conflito de gerações; transferência da responsabilidade da família para a escola; sede do novo e do imediato; a relação dos conteúdos a realidade do educando; especializações que surgem a todo o momento, solicitações cada vez maiores dos meios de comunicação.

A Orientação mantém estreita relação com as demais áreas do conhecimento, e as transformações que ocorrem fora dela, modificam-­na, não na sua essência, mas sim no desenvolvimento de seu processo. Se as questões de discussão, hoje, estão no cam­po da globalização, se a problemática mundial pode ser determinada ou des­crita pelos fatores da mundialização, da política neoliberal, da empregabilidade, das novas tecno­logias, da era da comunicação, entre outros dados, preci­so de uma nova re­orientação para di­mensionar meus objetivos e propósitos. Esses e outros da­dos, como o próprio conhecimento são cada vez mais globalizados, mas as ações são cada vez mais particularizadas e setorizadas; neste sentido é que o papel do Orientador Educacional torna-se signifi­cativo para ajudar o aluno nesta ação lo­calizada.

O objeto deste estudo é mostrar o longo e penoso caminho da orientação, no Brasil, antes de atingir suas perspectivas atuais: com dimensão nitidamente pedagógica; uma Orientação contextualizada e, portanto, envolvida com o cotidiano da escola, dos seus alunos e de representações.

Atividades do Laboratório de Projetos de Qualificação em Libras da Faculdade Gama e Souza



A Pedagoga Mônica de Souza, graduada pela Faculdade Gama e Souza, teve a Monografia orientada pela professora Christiane Penha no âmbito do Laboratório de Projetos de Qualificação em Libras, obtendo a nota Dez da Banca Orientadora. A foto faz parte do acervo do CH Penha Projetos Educacionais e foi tirada durante o Fórum Permanente do Instituto Nacional de Educação de Surdos, onde a Pedagoga Mônica e outros alunos da Faculdade Gama e Souza que participam das atividades do Laboratório se fazem presentes para praxis das atividades de Libras.

Nessas atividades externas, o Professor Antonio R. Penha analisa as habilidades dos alunos nos processos de Metodologia da Pesquisa, auxiliando-os nas dúvidas mais significativas relacionadas as normas de apresentação de trabalho Científicos. Os acadêmicos que são orientados no LPQL, tendo a Libras como língua de instrução tem apresentado trabalhos em diferentes Instituíções de Ensino Superior obtendo sempre notas de excelência.

PAZ E NOVO ENSINO DE HISTORIA - revistapontocom edicao 41

De: revistapontocom@planetapontocom.org.br
Data: Sexta, 15 de Janeiro, para chpenhaprojetos.edu@correios.net.br
Leia nesta edição:

- Detetives do passado: à procura do bom ensino de História ?O ensino de História vem mudando muito. Mas a forma de ensinar eaprender continua em geral a mesma: professores falando, alunossentados, ouvindo e anotando. Aborrecidíssimos, em geral?. Aafirmação é de Keila Grinberg, professora de História da UniRio.Em entrevista à revistapontocom, Keila apresenta o projeto Detetivesdo passado, uma proposta inovadora de ensinar História. CONFIRA <http://www.revistapontocom.org.br/> - Educação para a paz: desafio urgente e necessário Como conquistamos a paz? Paz significa ausência de conflito? De quetipos de guerras estamos cercados? Qual é o papel da escola nestecontexto? Um bate-papo com Vera Candau, professora do Departamento deEducação da PUC-Rio traz à tona reflexões atuais e que,infelizmente, ainda deveriam ser discutidas e analisadas por todosnós. CONFIRA <http://www.revistapontocom.org.br/> - Blogs de estudantes: o megafone do cotidiano da escola Estudantes que participaram do I Curso dos Jovens Observadores daEscola criam blogs para discutirem e analisarem o cotidiano de suasescolas e temas de interesse. Projeto foi desenvolvido com alunos deMinas Gerais e do Rio de Janeiro. CONFIRA<http://www.revistapontocom.org.br/?p=1882> - Jogo, imagem e tecnologia: possibilidades de ludicidade Em artigo, Lynn Alves, professora da Universidade do Estado da Bahia,analisa historicamente a importância e presença dos jogos nahistória da humanidade até chegar à cultura dos games, cada vezmais forte em nossa sociedade. ?O que muda são os artefatos, astecnologias utilizadas, mas o prazer de brincar é estruturador para ohomem?. CONFIRA <http://www.revistapontocom.org.br/> - Cartilha reforça a defesa dos direitos humanos Na semana em que se celebra a importância do PatrimônioAudiovisual, a Unesco no Brasil, em parceria com a Oboré, acaba delançar a cartilha Direitos Humanos na Mídia Comunitária: acidadania vivida no nosso dia a dia. CONFIRA<http://www.revistapontocom.org.br/?p=1880> - Seminário de Classificação Indicativa recebe trabalhos A Secretaria Nacional da Justiça realiza nos dias 26 e 27 denovembro, em Brasília, o I Seminário Internacional daClassificação Indicativa. O objetivo é discutir e atualizarconhecimentos, identificar tendências, perspectivas e debater aspolíticas públicas de classificação indicativa no cenárionacional e internacional. Interessados têm até o dia 5 de novembropara enviar trabalhos. CONFIRA<http://www.revistapontocom.org.br/?p=1877> - Texto do marco regulatório da internet recebe críticas ecomentários Cidadãos brasileiros têm cerca de 45 dias para opinarem, via web,sobre texto produzido pelo Ministério da Justiça que visa determinarde forma clara os direitos e responsabilidades relativos àutilização dos meios digitais, especialmente da internet. Odocumento é chamado de Marco Regulatório Civil da Internet. CONFIRA<http://www.revistapontocom.org.br/

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Faculdade Gama e Souza - RJ

A história da Faculdade Gama e Souza surge no ano de 1963, quando a professora Inah Gama e Souza realizou um de seus sonhos, fundou o Jardim-Escola Menino Jesus.Localizado no número 58 da Rua Vieira Ferreira, em Bonsucesso, o local também era sede do curso Gama e Souza, que preparava jovens para o ingresso nas academias militares e institutos de educação com curso normal. Fundado pelo professor Aluisio Gama de Souza, o curso foi, à custa de muito trabalho, crescendo e arregimentando novos alunos.
Depois de três anos de atividades, na Rua Vieira Ferreira, o colégio se transferiu para um imóvel maior, na Avenida Teixeira de Castro, também em Bonsucesso, onde funciona uma de suas sedes até hoje.A partir da segunda metade da década de 70, o Grupo Gama e Souza começou a sua expansão, hoje sendo composto pela Unidade Educacional Gama e Souza, com sede em Bonsucesso e filiais em Olaria, Barra da Tijuca e Recreio dos Bandeirantes.
Com o ideal de atingir todos os níveis de formação, o Grupo Gama e Souza obteve, em 1998, o credenciamento pelo MEC, da Faculdade Gama e Souza, com sede na Rua Leopoldina Rego, nº 502, Olaria, Rio de Janeiro.
A Faculdade Gama e Souza oferece os cursos de:
Administração; Ciências com habilitação em Matemática; Ciências Contábeis; Economia; Direito, Letras com habilitação em Português e Literaturas; Pedagogia ( Gestão Escolar, Magistério do Curso de Formação de Professores em Nível Médio, Magistério da Educação Infantil, Magistério dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, Formação de Pessoal de Apoio e Pedagogia Empresarial); Sistemas de Informação e Turismo, todos reconhecidos pelo MEC.

No ano de 2008 foi criado o Laboratório de Projetos de Qualificação em Libras, cujo objetivo é instrumentalizar os acadêmicos dos cursos de Licenciaturas em Língua Brasileira de Sinais, conforme a determinação da Lei 10.436/2002 e o Decreto que a regulamenta 5.626./2005.
Alem destes, possui sete cursos superiores de tecnologia, autorizados pelo MEC: Gestão Hospitalar, Negócios Imobiliários, Marketing, Processos Gerenciais, Gestão Comercial, Rede de Computadores e Segurança do Trabalho. Também oferece cursos de pós-graduação lato sensu nas áreas de Exatas, Humanas, Sociais Aplicadas e Tecnológicas.
A Faculdade Gama e Souza tem como mantenedora a Associação de Cultura e Educação Santa Tereza/ACEST e possui o campus I, na Rua Leopoldina Rego nº 502 – Olaria e, com 3km de distância, o campus II, na Avenida Brasil, nº 5.843 – Bonsucesso. Ambas (IES e Mantenedora) estão sediadas na cidade do Rio de Janeiro; além disso, os colégios mantidos pelo Grupo Gama e Souza funcionam como colégios e pólos instrucionais de aplicação da Faculdade.


Vestibulares Permanentes para:

Administração
Ciências com habilitação em Matemática
Ciências Contábeis
Ciências Econômicas
Letras
Pedagogia

Gestão Hospitalar
Segurança no Trabalho

Direito
Sistemas de Informação
Turismo

Gestão Comercial
Gestão de Negócios Imobiliários
Marketing
Processos Gerenciais
Redes de Computadores
© 2009 Faculdade Gama e Souza.

Validação do Curso de Teologia - MEC

Programa de Validação de Créditos em Teologia

Coordenador: Prof. Edrei Daniel Vieiraedrei@cesumar.br

O Reitor do CESUMAR (Centro Universitário de Maringá) faz saber que, em caráter excepcional, estão abertas as inscrições para ingresso no Curso de Teologia, Bacharelado para o ano de 2010, mediante Processo Seletivo Específico de ingresso como Portador de Diploma de Bacharel em Teologia, expedido por Seminário Maior, Faculdade Teológica ou Instituição equivalente, de qualquer confissão religiosa cristã, para aproveitamento de créditos visando à integralização curricular, nos termos do Parecer 0063/2004 do CNE/CES de 19/02/2004, obedecidas as seguintes normas constantes deste Edital.

1. Calendário do Processo Seletivo – Módulo I. 2010.
Inscrições: até 06/11/09 até 22/01/10.
Envio dos documentos*: até 25/01/10.
Divulgação do Resultado: 01/02/10.
Efetivação da Matrícula: 01 a 05/02/10.
Início das Aulas: 22/02/10.
* TODOS OS DOCUMENTOS SOLICITADOS NOS ITENS 6.5 DEVEM SER ENVIADOS PELO CANDIDATO, SOMENTE PARA:
CESUMAR – COORDENAÇÃO DE TEOLOGIA
AV. GUEDNER, 1610 – JARDIM ACLIMAÇÃO
CEP 87.050-390
MARINGÁ/PR
2. Das Inscrições.
2.1 - Para fins de efetivação de sua inscrição e posterior matrícula o candidato deve comprovar através do envio dos documentos solicitados nos ítem 6.5 que:
a) comprovação do certificado de Conclusão do Ensino Médio, ou equivalente; b) que o Curso de Bacharel em Teologia teve a duração mínima de dois anos e carga horária igual ou superior a 1600 horas aulas; c) que concluiu integralmente o Curso de Teologia e ainda apresentar a matriz curricular com a carga horária das disciplinas cursadas e os seus respectivos programas; d) que tal curso foi presencial e seqüencial.
2.2 - Período de Inscrições: até a data estabelecida no calendário, exclusivamente pela INTERNET e é inteiramente GRATUITA.
2.3 - A inscrição implica o conhecimento e a aceitação de todas as normas e instruções estabelecidas no presente edital.
3. Da Seleção dos Candidatos.
3.1 – A seleção dos candidatos constará da:
a) Análise do Histórico Escolar e do Certificado de Conclusão do Ensino Médio; b) Análise de Histórico Escolar e da Matriz Curricular do Curso de Teologia Cursado;
4. Do Aproveitamento de Créditos
4.1 - Nos termos do Parecer 0063/2004 do CNE/CES de 19/02/2004:
4.1.1 - O aproveitamento de crédito será deferido tão somente se a disciplina cursada apresentar carga horária igual ou superior à da disciplina objeto do pedido de dispensa, bem como conteúdo programático compatível com os oferecidos pelas disciplinas da Matriz Curricular do Curso de Bacharel em Teologia do CESUMAR; 4.1.2 - O total de créditos a ser aproveitado não poderá exceder a 80% (oitenta por cento) dos créditos exigidos para a integralização do curso de graduação de Teologia do CESUMAR; 4.1.3 - Os Egressos de Seminários Maiores, Faculdades Teológicas ou Instituições congêneres deverão cursar, no mínimo, 20% (vinte por cento) da carga horária exigida para a obtenção do diploma do Curso Superior de Teologia, Bacharelado, além das disciplinas ou equivalentes em que não tenha obtido aproveitamento.
4.2 - Os créditos a serem aproveitados através das disciplinas cursadas em outras Instituições de Ensino Superior não dispensarão o aluno do cumprimento da totalidade dos créditos proposto no programa específico de aproveitamento de créditos do curso de Bacharelado em Teologia do CESUMAR
5. Da Convocação dos Classificados.
5.1 - O CESUMAR somente considerará oficiais e válidos os Editais e as listas de candidatos classificados que forem publicados ou divulgados em seu site ou Polos Regionais;
5.2 - Será considerado desistente o candidato convocado que não efetuar a matrícula na data e horário estipulados no cronograma constante neste Edital e deixar de apresentar os documentos exigidos no item 6.5.
6. Da Efetivação da Matrícula.
6.1 - A matrícula deve ocorrer impreterivelmente na data fixada neste Edital e deverá ser feita via INTERNET no site do CESUMAR.
6.2 - O Processo Seletivo só tem validade para o período letivo para o qual tenha sido realizado.
6.3 - É condição de matrícula ter sido o candidato classificado no Processo Seletivo.
6.4 - A matrícula do candidato implica na concordância e aceitação das normas que regulamentam o Curso de Bacharelado em Teologia do CESUMAR.
6.5 – A inscrição e a posterior matrícula somente serão efetivadas mediante a apresentação dos seguintes documentos*:
6.5.1 - 2 (duas) fotocópias autenticadas do Histórico Escolar do Ensino Médio ou equivalente, acompanhado do Certificado de Conclusão; 6.5.2 - 2 (duas) fotocópias autenticadas do Diploma do Ensino Médio, nos casos de cursos Técnico-Profissionalizantes (Contabilidade, Normal, etc...); 6.5.3 - 1 (uma) fotocópia autenticada do Diploma do Curso de Bacharel em Teologia; 6.5.4 - 1 (uma) fotocópia autenticada Histórico Escolar do Curso de Teologia; 6.5.5 - 1 (uma) fotocópia autenticada Cédula de Identidade de Registro Geral (RG); 6.5.6 - 1 (uma) fotocópia autenticada Cadastro de Pessoa Física – CPF; 6.5.7 - 2 (duas) fotografias 3x4, recentes e iguais; 6.5.8 - 1 (uma) fotocópia do Comprovante de Endereço. 6.5.9 - 1 (uma) fotocópia autenticada da Certidão de Nascimento ou Casamento.
*FAVOR ENVIAR SOMENTE OS DOCUMENTOS REQUISITADOS.
*OS CANDIDATOS DESCLASSIFICADOS PODERÃO RETIRAR SEUS DOCUMENTOS NA COORDENAÇÃO DO CURSO E A COORDENAÇÃO NÃO ENVIARÁ TAIS DOCUMENTOS AOS CANDIDATOS.
Parágrafo Único – Cinco meses após a sua matrícula, o aluno deverá enviar (somente VIA SEDEX) para a Coordenação do Curso, 1 (uma) fotocópia das Ementas ou Conteúdo Programático das disciplinas cursadas;
6.6 - O candidato que tenha realizado estudos equivalentes ao Ensino Médio e/ou Graduação em Teologia no exterior deverá apresentar prova de equivalência de estudos fornecida por autoridade educacional competente em data anterior a matricula;
6.7 - A ausência de pedido formal de cancelamento de matrícula, por parte de alunos desistentes, implica na continuidade de seu débito para com o CESUMAR, inclusive das parcelas vincendas.
7. Do Valor, do Pagamento das Mensalidades e da Duração do Curso.
7.1 – O valor de cada mensalidade será divulgado em breve.7.1 – O valor de cada mensalidade está fixado em R$ 231,00 (Duzentos e Trinta e Um Reais) até 31 de dezembro de 2009 e poderá sofrer reajuste para o ano de 2010;-->
7.2 - No ato da matrícula deverá ser efetuado o pagamento da 1ª mensalidade e as 11 (onze) mensalidades restantes deverão ser pagas até o dia 5 de cada mês com desconto de 5% (cinco porcento).
Parágrafo Único – APÓS A CLASSIFICAÇÃO DO CANDIDATO, O MESMO FARÁ O PAGAMENTO DA TAXA DE EXPEDIENTE NO VALOR DE R$ 30,00 (TRINTA REAIS).
7.3 – O curso terá duração de 12 meses.
8. Das Aulas e Das Avaliações.
8.1 - Deste modo, em cumprimento ao Parecer 0063/2004 do CNE/CES de 19/02/2004 dispostos no ítem 4 deste Edital e em consonância ao previsto na Portaria MEC nº 2.253, de outubro de 2001, as disciplinas deste Programa de Validação serão ministradas na modalidade a distância, cabendo ao candidato aprovado e já matriculado:
a) Assistir as aulas VIA INTERNET (para assistir as aulas via internet é necessário um computador com conexão banda larga, não incluso no valor das mensalidades e de responsabilidade do aluno) ou nos POLOS REGIONAIS.
b) Para consultar a relação dos POLOS REGIONAIS acesse: http://www.ead.cesumar.br/polos/
c) As aulas acontecerão todas às segundas-feiras das 19:20h as 22:50h.
8.2 - A AVALIAÇÃO PRESENCIAL É OBRIGATÓRIA NOS POLOS REGIONAIS e acontecerá ao final de cada bimestre, em local, data e horários agendados pela Coordenação do Curso. Esta avaliação contempla os assuntos do Conteúdo Programático, as atividades de estudo, fóruns e encontros desenvolvidos no período, sendo realizada para cada disciplina em particular.
9. Dos Casos Omissos.
Os casos omissos ou duvidosos em relação a este edital serão resolvidos pela Coordenação em conjunto com a Reitoria.
Maringá, 05 de Novembro de 2009.
Prof. Wilson de Matos Silva
Reitor

Validação do Curso de Teologia -

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Realização do I FESAI na Faculdade Gama e Souza


Membros da FENEIS reunidos no auditório da Faculdade Gama e Souza, campus Avenida Brasil, durante as atividades do Primeiro Fórum de Estudos Surdos na Área de Informática

EDUCAÇÃO E EDUCADORES: Diferentes olhares, diferentes contextos....

Marta Sorvi dos Santos,
Historiadora, Doutora em Biociências e Saúde (IOC/FIOCRUZ)


Passeando pelo universo dos miúdos, como diriam os portugueses, o professor observa e é observado; afaga e é afagado pelas histórias infantis, mãos pequeninas e muitos beijos em sua face. Desperta no outro e é despertado por intensas emoções de ver em sua frente, um ser humano no início de sua vida, em crescente descoberta de si mesmo, dos outros, do mundo ao seu redor.
Há aqueles docentes, que tornam -se especiais no trabalho de alfabetização. Encontram-se na aventura de levar as crianças a descobrirem a leitura do mundo.
De agora em diante, experiências incessantes desafiam o professor. Poderá permanecer mais voltado para este trabalho da infância ou irá acompanhar os dilemas e questionamentos da adolescência.
Para cada momento da vida, existem professores que acompanham e ensinado aprendem. Buscando encontram a magia do seu ofício. A educação é algo muito mais amplo que a escola. Mesmo nas tribos mais primitivas, onde nem existe escola, há educação. As gerações mais velhas acompanham os mais jovens em sua trajetória, mostrando-lhes valores e conhecimentos. O professor, profissional formado na escola e para a escola, é, contudo, professor da vida. Não é nenhum missionário, e sim um profissional. Mas, sua profissão sempre vai muito além da escola.
Um dos maiores dilemas do professor hoje é a reencontra a certeza do seu agir.
Em virtude das mudanças constantes na sociedade, em busca desenfreada pelo consumo, pelo dinheiro, as inversões de valores têm deixado o professor confuso de seu papel. Trabalhar só os conteúdos, deixando de cumprir também seu papel de educador? Ser educador de valores sem se importar com os conteúdos? Indaga-se em algo que sempre teve certeza.
Buscar essa certeza e agir com consciência profissional é hoje, um dos maiores desafios dessa profissão. Não deixar se abater pelos salários mal pagos, pelas imprudências de alguns setores da sociedade que o desvalorizam e continuar agindo como sempre agiu, provocando seus alunos a buscarem por si próprios o conhecimento, dialogando com eles, permitindo-se na abertura ao outro, ao encontro com o outro. Quanto mais estiver o aluno distante das suas idéias do professor, lá estará o professor se aproximando dele, num gesto de ousadia, mas também de respeito às suas opiniões e ao seu universo cultural.
Quando finalmente o aluno parece saber, de um assunto de sua aula, tanto quanto ele, tomando quase o seu lugar, encontra-se feliz. Sabe que realizou bem o seu trabalho porque oportunizou, mediou, deu infinitas possibilidades ao aluno.
Sob diferentes olhares, em diferentes contextos das salas de aula, buscará sempre algo a fazer, se for mesmo um professor...

Amalgama na visão fascinante de Cesar (debates)

O mal sem abrigo: críticas ao Anticristo de Lars von Trier. 1–12–2009
por Cesar Kiraly.
Obrigo-me a fazer alguns comentários sobre o Anticristo do diretor Lars Von Trier. Na verdade tornarei as coisas um pouco mais tendenciosas para que se possa saber o que esperar dos meus comentários e depositar um sentido tendente em cada uma das minhas letras: comentarei sobre os modos pelos quais um diretor muito bom consegue fazer um filme no qual as cores, a dramaturgia e as teses são todas muito ruins. Por certo, esses comentários que faço não procuram colocar este filme na estante dos filmes ruins, mas quero dizer que essa película de Von Trier possui cores, dramaturgia e teses inferiores. Este meu juízo, e não poderia deixar de ser, é comparativo. Mas comparativo com o universo de outros filmes do mesmo diretor.
Apenas para situar o problema das cores, Dançando no Escuro é um filme outonal: as cores assumem o tom de amarelo, que se torna princípio amarelo: mostrando no esmaecimento do tom o tempo que passa sem passar. Em artes visuais este efeito é acompanhado por muita melancolia, na pintura a melancolia é tão intensa que a felicidade é sempre ambivalente, ainda mai se estamos diante de uma tela figurativa. Mas no cinema o efeito não é tão complexo, porque o princípio amarelo é representado com maestria pelo Outono natural. Nas folhas, nos cabelos idosos, existe um princípio amarelo: um tempo que passa sem passar. Nos filmes minimalistas de Von Trier (cabe dizer, o Dogma 95 não é minimalista em imagem, mas hiperbólico em regras, mesmo que essas regras pareçam divertidas, o que fornece uma falsa aparência de mínimo, quando o que existe é um excesso), o trabalho com a cor se torna bastante superior. Não porque ele habita o território um pouco mais próximo do preto e do branco (que não sem ironia constitui a dramaturgia, enquanto cores da pele), e esse território seria um pouco mais simples, mas porque ele habita o território do preto e do branco, pensar nas casas pintadas no chão de Dogville, apenas com tracejado branco sobre o solo preto, e isso o obriga a colocar as coisas em termos de composição. Ou ainda Manderley, onde o solo branco é inscrito pelo tracejado preto.
A lembrança do mapa dos Estados Unidos todo branco no fundo e tracejado em preto é bastante significativa da maturidade pictórica do diretor. Entre Dogville e Manderley, por serem filmes de minimalismo, existe um jogo pictórico entre a prevalência do preto e a inscrição do branco, e por outro lado, a disponibilidade do branco e a inscrição do preto. Este minimalismo, como qualquer minimalismo, torna a elementaridade das paixões humanas uma questão contrastante.
O Anticristo possui muitos elementos para ser um bom filme, mas não é. Se interpretássemos de um modo mais processual, poderíamos dizer que se constitui na oportunidade de retornar ao tema do outono, acrescido à quebra das elementaridades morais, mas não um outono espontâneo, e sim um outono provocado, acrescido do problema do Mal. A maturidade pictórica dos filmes anteriores é trocada por uma espécie de lambança computacional que torna a imagem do filme devedora de alguns filmes adolescentes. Alguns poderiam retorquir que Von Trier passa agora a fazer parte de uma forte genealogia de diretores que filmam nas dimensões do sonho, como Tarkovsky, o que seria comprovado por uma forte mitologia que envolve o filme, como a depressão de Von Trier e a dedicatória a Tarkovsky. Mas ainda que ele tenha se tornado um membro dessa genealogia de diretores que mobilizam o onírico, deve ser dito que Von Trier ainda não conseguiu se colocar à altura dos pares.
No que concerne ao Anticristo, nas circunstâncias da obra de Von Trier algumas indagações sobre a natureza pictórica do sonho são cabíveis. Porque muito embora ele tenha muita experiência com a natureza pictórica da experiência, talvez lhe falte alguma ardilosidade no que concerne ao trabalho pictórico com os sonhos. De nenhuma forma podemos naturalizar os sonhos, ou fazer neles alguma mitologia. Aquilo que se pode chamar de um trabalho pictórico com sonhos concerne apenas ao que se fez: em literatura, poesia etc. Esta natureza pictórica do sonho que defendemos pode mudar e se tornar algo mais próxima, ou até mesmo idêntica, ao que Von Trier defende, mas com largo prejuízo ao gosto. Por isso, cabe dizer, que os sonhos não são penumbra. Nesse sentido, representar a realidade-onírica como penumbra é uma espécie de deturpação justificável na comédia. O que, salvo melhor juízo, não é o caso. A representação do sonho na realidade “com brumas” é ainda mais risível.
Mas por que ele faz isso, ele que é um grande diretor? Porque não se deu o trabalho de perceber que a cor não é o que distingue os dois regimes (a realidade do sonho ou o sonho da vigília), mas o que os torna contíguos. Ele assim o faz para proteger as imagens da dor — nada mais habitável, no sentido vegetativo, do que uma realidade sem força onírica. Não é facultado aos grandes artistas hesitação diante da dor. Aparentemente, ao dar “amostras” do grotesco (ejaculação com sangue, mutilações e intervenções no corpo) ele nos poupa do caminho mais cruel. Este caminho mais cruel (entretanto, artisticamente superior) se dá no reconhecimento que a composição do absurdo não está no sonho, mas está no mundo, com relação ao qual o sonho está em relação de contigüidade. No mundo estão os pesadelos, e deles os sonhos participam.
No que concerne às teses, nada mais artisticamente pobre do que a saída pelo psicologismo. Uma forma de relativismo acerca do conhecimento das experiências humanas, em virtude da intensa presença da singularidade, em cuja forma mais cruel acaba por lidar com a natureza humana apenas como uma entidade regular. Von Trier, a pretexto de brincar com as teses da psicanálise e das psicologias do comportamento, colocou quase tudo na conta do psicologismo. (1) A onipotência do marido acerca das agruras da esposa. (2) O relativismo da esposa acerca das distinções entre bem e mal. (3) A forte carga de imprevisibilidade acerca dos rumos desastrosos na resposta a situações de sofrimento. Pois, pode ser dito, o que menos interessa à psicanálise é o psicologismo: (1) situações de onipotência acabam mal. (2) O relativismo acerca das distinções entre bem e mal também acabam mal. (3) Situações de sofrimento são previsíveis no que concerne aos seus rumos desastrosos. Não há motivo para se relativizar qualquer desses temas.

Responde Milton Ribeiro (2–12–2009 10:17 am)
César, meu amigo,
por favor, não pense que me tenho em alta conta e que tenha alguma pretensão à oráculo, mas o fato é que, se achei que a outra crítica publicada no Amálgama em grande parte tangenciava o assunto, esta aqui parece ter vindo de outra galáxia. Talvez o problema seja eu.
Uma, quem sabe, coisas são certas. Vimos filmes inteiramente diferentes e a crítica veio toda armada para detestar o filme mesmo antes do lançamento; na verdade, preparou-se desde que soube o nome do filme e da depressão, real ou imaginária, de von Trier.
Dos teus sete parágrafos, dedicaste seis às imagens e suas derivações e o último às teses. Chama a atenção. Sim, é um filme cheio de artifícios de imagens, que parecem ora saídas de um livro infantil, ora de um filme de Tarkovsky. Outra comprovação de má vontade é imaginar que uma dedicatória a Tarlosvky — quase uma declaração de vassalagem — signifique que von Trier queira alçar-se a um nível superior. Fico pasmo. Na verdade, acho que o dinamarquês quis proteger-se com a dedicatória. Se o final do filme é Andrei Rublev; a mata, Stalker; além de outras referências aqui e ali, melhor autoacusar-se, não achas?
Bom, sobre as cenas de sonho de um personagem louco — pois Ela era doida varrida, não te pareceu?, ou aqueles sapatos postos ao contrário caíram na conta dos “sonhos” ou da imaginação?: tais cenas devem ser analisadas à luz da realidade ou de uma verdade ficcional? Há algum compromisso científico em von Trier? Exigirás também substrato científico no Fausto de Goethe ou vais deixar passar batido por causa da poesia?
Sobre o psicologismo. Não sei se entendo o que é, mas penso que psicologismo seja algo que coordene a lógica dos acontecimentos: todo o maluco é e age assim e lá vou eu tratar todos da mesma forma. Bem, isto é tudo o que NÃO HÁ em Anticristo. A lógica toma um baile de cabo a rabo, o marido onipotente cada vez mais não sabe o que fazer e, como escreveste, o que interessa à psicanálise… Porra, estamos vendo um filme, não estamos recriando a Bíblia, nem manuais de comportamento. Foda-se a psicanálise! Penso que ela deva vir atrás das obras de arte, não dentro nem sobre as mesmas.
Outro ranço que me fica das duas críticas publicadas no Amálgama é o do politicamente correto de minha desesperança e desencanto. Vou ali na esquina me matar, OK?
Um grande abraço pleno de discordâncias.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

OS DESCAMINHOS DOS CURSOS TÉCNICOS NO BRASIL




OS (DES) CAMINHOS DOS CURSOS TÉCNICOS NO BRASIL

Michael George Costa Carneiro
Mestre em Ciências Pedagógicas (ISEP)
Professor das redes municipal e estadual (RJ)
mg2c@hotmail.com

Resumo: Neste artigo é abordada o processo pelo qual se condicionou a formaçãoprofissionalizante em seu contexto histórico. Delineando vertentes de granderelevância que irão repercutir até os dias atuais. Principalmente no atualmomento, onde se reestruturam os cursos técnico-profissionalizantes. O artigoanalisa também as principais idéias surgidas neste contexto de reestruturaçãodestes cursos, bem como os distintos sentidos de uma formaçãoprofissionalizante.
Palavras chave: formação - profissionalizante - politecnia

Artigo Completo no site:
http://www.educacaoonline.pro.br/index.php?option=com_content&view=article&id=296:os-des-caminhos-dos-cursos-tecnicos-no-brasil&catid=4:educacao&Itemid=15

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Aquecimento Global ( Pr Valdir)

Muitos têm alertado a respeito do alto custo do aquecimento global para a humanidade. Os jornais e os noticiários de TV estão cheios de previsões tenebrosas sobre o colapso da economia mundial: milhões morrerão ou serão desalojados em virtude de secas, fomes e inundações, enquanto Londres, Nova York e Tóquio, juntamente com outras cidades litorâneas, afundarão nos mares cujo nível subirá. Um relatório também predisse que todos os frutos do mar estarão extintos em cinqüenta anos.
A respeito desse panorama há diversas possibilidades. As principais são:
1. O aquecimento global é real e causado pela atividade humana (queima de combustíveis fósseis – carvão, petróleo e gás, queima das florestas tropicais, etc.). Por isso, os governos devem tomar medidas urgentes para salvar o mundo da catástrofe.
2. O aquecimento global é real mas não se tem certeza sobre as causas. Pode tratar-se de atividade solar e parte de um ciclo de aquecimento e esfriamento das temperaturas na Terra. Nesse caso, não há nada que os governos possam fazer a respeito.
3. O aquecimento global é um engano usado por aqueles que querem implantar um governo mundial. Eles estão tentando amedrontar as pessoas para que se submetam aos seus planos.
Vamos analisar essas questões:
1. O aquecimento global é real e causado pela atividade humana
2. O aquecimento global é real mas pode ser causado pelo sol
3. O aquecimento global é um engano
Aquecimento global e governo mundial
O meio ambiente – uma questão espiritual
Publicado anteriormente na revista Chamada da Meia-Noite, março de 2007.
O desafio da Igreja - Parte 2
Reforma Constitucional ( Ano 2.010 )A Bíblia diz que no fim dos tempos os filhos de Deus serão perseguidos e odiados. Veja aqui abaixo algumas leis brasileiras, que, SE APROVADAS, impedirão a nossa ação à favor do Evangelho no Brasil: Será proibido fazer cultos ou evangelismo na rua (Reforma Constitucional)Cultos somente com portas fechadas (Reforma Constitucional) As igrejas serão obrigadas a pagarem impostos sobre dízimos, ofertas e contribuições. Programas evangélicos na televisão apenas uma hora por dia. Pastor só poderá fazer programa de televisão, se tiver faculdade de 'jornalismo'. Será considerado crime pregar sobre espiritismo, feitiçaria e idolatria, e também veicular mensagem no rádio, televisão, jornais e internet, sobre essas práticas contrárias a Palavra de Deus. Pastores que pregarem sobre dízimos e ofertas, dependendo do número de reclamações, serão presos. Pastores que forem presos por pregar sobre práticas condenadas pela Bíblia Sagrada (homossexualismo, idolatria e espiritismo), não terão direito a se defender por meio de ação judicial. Igrejas que não realizarem casamento de homem com homem e mulher com mulher, estarão fazendo 'discriminação', poderão ser multadas e os pastores processados. Querem que o dia do 'Orgulho Gay' seja oficializado em todas as cidades brasileiras.Projeto nº 4.720/03 / Projeto nº 3.331/04 / Projeto nº 299/99 / Projeto nº6.398/05/Projeto nº 1.154/03 /Projeto nº 952/03 / Projeto nº 4.270/04 / Projeto nº 4.270/04 / Projeto de nº 216/04Outros: Existem outros projetos em andamento que ferem princípios bíblicos, entre eles: Casamento de homens com homens e mulheres com mulheres. Estabelecer um dia oficial do 'Orgulho Gay' em todas as cidades brasileiras, entre outros.O desafio da Igreja- Parte 1
O desafio de batalhar contra as heresias que vão se avolumando com a economia do consumismo.A salvação “vale o quanto pesa”* As pessoas devem fazer algo para ganhar os favores de Deus.Esta idéia é uma crescente no meio evangélico que professa a Teologia da Prosperidade. As pessoas sempre estarão em desvantagens quanto a obra salvífica de Cristo, tendo que fazer algo que lhes garanta as benções de Deus.* Doença é coisa do mal, e tratada como resultado de uma vida em pecado. Quem está doente, deve estar em pecado.Vivemos na época em que o velho deve morrer para dar lugar ao novo *Com esta filosofia temos eliminado o bom testemunho daqueles que vieram antes de nós.* A história tem sido redefinida dentro de um padrão de relativismo moral e ético. Em um mundo em que Deus não existe, o homem fica só tomando decisões baseadas em seu humanismo.Pastor é medido pelo padrão mídia de tele-evangelismo*O pastor de uma pequena igreja terá seu sucesso teológico e ministerial medido pelo grande orador da televisão ou do rádio.* A fama, prestigio e poder têm se tornado elementos indispensáveis para líderes denominacionais e teologias, que estão mais interessados no que os homens querem do que naquilo que a Palavra do Senhor diz. Há um culto formalizado à personalidade humana, que tem toda a honra e a obediência de seus seguidores, que também buscam um lugarzinho ao sol.A iliteração bíblica dos líderes tem causado confusão e dores* Aceitamos aquilo que dá certo sem levarmos em conta a tradição histórica daqueles movimentos.* Por outro lado, temos os grupos que não fazem revisões em suas metas, estratégias, em relação ao momento que o país está vivendo. Insistem em levar adiante paradigmas antigos, sem perceberem as transformações.Devemos entender que a essência deve permanecer ,mas os métodos podem mudar.Nossa opção tem sido pela classe média, ainda que nossa mensagem seja para todos.*As igrejas são formadas e imediatamente se transformam em algo diferente dentre o povo onde estão plantadas. Sua forma de culto, seus costumes, sua música e sua liturgia não fazem parte da cultura ou subcultura em que se envolveram.* Será que estamos preparados para os jovens questionadores da geração dos preservativos, drogas, informática, Internet, videogames, etc.?* A liberdade tão pouco utilizada agora estava á disposição de todos, ainda que velada pelos grandes poderes que regem nossa sociedade. Eles começaram assim a efetivar a era do questionamento dos sistemas.Questionaram o governo, os poderes e a igreja.Eles querem ver a realidade de seus discursos. Se há integridade na vida daqueles que dizem reter a verdade em suas mãos.*Será que estamos preparados como corpo de Cristo a aceitarmos homossexuais, lésbicas, “gays”, drag queens, frutos da promiscuidade, descaso e liberação sexual pregadas pelas revistas pornográficas e filmes de Hollywood?
Autor: Pastor Valdir- Formação Teológica: Faculdade Evangélica Beth Shalom- Faculdade Teológica Cristã Reformada- Seminário Batista Nacional-CBNSP- Convalidação FLAM-ETNIA- Gestão de Marketing- Metodista- Técnico Segurança do Trabalho- RG: 51/11790-2- Técnico em Eletrônica-CTA -Capelania-OMSP

domingo, 10 de janeiro de 2010

A Língua Brasileira de Sinais como Língua de Instrução na Orientação de Trabalhos de Conclusão de Cursos de Graduação e Pós Graduação

Quando chegou as nossas mãos enquanto professores orientadores de TCC, as normas para apresentação de trabalhos científicos na Mostra de Práticas em Psicologia, organizada pelo Conselho Regional de Psicologia do Estado do Rio de Janeiro, vimos ali a oportunidade de resignificar o contexto das oficinas e estudos de caso que realizamos nas orientações de trabalhos acadêmicos na Faculdade Gama e Souza. No objetivo do edital, a comissão científica do evento definiu ser a mostra de psicologia, o espaço para debates entre psicólogos,professores, acadêmicos de diferentes cursos e instituições de ensino superior, autores, pesquisadores, e profissionais de diversas áreas, congregados nos temas de educação, trabalho, interdisciplinaridade, saúde, sociedade, e outros que possibilitassem a troca de experiências, colaborando para a construção de novos saberes. Nesse sentido, propomos e os alunos aceitaram, apresentarmos diferentes trabalhos de conclusão de curso tendo a Língua Brasileira de Sinais como a língua de instrução. Foram inscritos nove trabalhos, pesquisados por 32 alunos dos cursos de Pedagogia,Letras,Matemática e do curso superior de Segurança do Trabalho, que fazem parte das atividades desenvolvidas no laboratório de Libras. Todos os trabalhos foram aceitos para serem apresentados em duas modalidades: 1- Experiência em Debates, onde os alunos debatiam as suas praticas em comunicação oral, mediados por um moderador indicado pelo Conselho Regional de Psicologia; e 2 - Oficinas: Onde o aluno preparava um material lúdico e explicava a sua construção numa aula expositiva.Foram esses os trabalhos definidos e aceitos para apresentação na III Mostra Regional de Práticas em Psicologia realizada na Universidade Veiga de Almeida, valorizando o saber acadêmico destinada a Educação e inclusão Social:I - A LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS MUSICALIZADA PARA INTERPRETAÇÃO DE SÍMBOLOS E POESIA. Autores: Deuseli Moura Praxedes, Rita de Cássia Lopes Provesani, Vania Lúcia da Silva Santiago, Thais Pires Amaro,Kelly Cristina A. dos Santos,Rosane Silva de Brito;II - EXPERIÊNCIAS DE INCLUSÃO SOCIAL NA PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS EM LIBRAS PARA A FORMAÇÃO DOCENTE. Autores: Isis Keila da Costa,Layane Cristine de Souza, Marilene Neves da Silva, Maria Madalena L. de Almeida, Jesus Ademir N. Pinto, Monica de Souza R. Vieira;III - PLANEJAMENTO DIDÁTICO PARA O ENSINO DE ALUNOS COM DIFERENTES DIAGNÓSTICOS NA EDUCAÇÃO ESPECIAL,MATRICULADOS EM CLASSES REGULARES, NAS ESCOLAS PÚBLICAS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO. Autores: Rosa Maria P. de Freitas,Débora Rosa R. da Silva,Vania Paula Divino,Monica Carolina de Menezes, Yeda Luzia C. dos Santos;IV - ESCUTA E AQUISIÇÃO DA LIBRAS: UM PROCESSO QUE ENVOLVE DEDICAÇÃO,MOTIVAÇÃO E MEMÓRIA DISCENTE. Autores:Angélica N. da Silveira Porciuncula,Alessandra Vitor C. Pinho, Marcos R. Fontes Martins, Maria Celeste de Oliveira, Rita da Conceição de A. Franca, Maria Aparecida N. Sales;V - DIÁRIO DE APRENDIZAGEM EM LIBRAS ADAPTADO PARA A DOCÊNCIA SUPERIOR DO ENSINO DE TECNOLOGIAS.Autores: Antonio Ricardo Penha (orientador), Christiane Maria Costa Carneiro Penha (Orientadora);VI - O TECNÓLOGO EM SEGURANÇA DO TRABALHO E A PSICOSSOCIOLOGIA INSTRUMENTALIZADA EM LIBRAS PARA INSTRUÇÃO DO PROFISSIONAL SURDO NO PATIO DA INDUSTRIA DE PRODUÇÃO DE INSUMOS.Autores: Maria Cristina de Souza,Silvia Leite Augusto, Luis Fernando F. Alves, Daniela Gaspar Soares, Antonio Ricardo Penha (orientador), Christiane Maria Costa Carneiro Penha(orientadora);VII - O JOGO COMO FERRAMENTA LÚDICA INSTRUMENTALIZADO EM LIBRAS PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA DISPONIBILIZADOS A ALUNOS SURDOS E OUVINTES NUMA ABORDAGEM INCLUSIVA. Autores: Isis Keila da Costa, Itacy Danielle da S. Huergo, Gilson Lima de Carvalho;VIII - A LIBRAS PARA A ALFABETIZAÇÃO DE CRIANÇAS SURDAS NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL NUMA PERSPECTIVA INCLUSIVA. Autores: Priscila Pacheco de Carvalho, Raquel Lima Louzada, Elaine Santa Rosa Poubel, Ariana Felizardo da Silva, Viviane Santos de Souza;IX - OFICINA DE MATERIAL DIDÁTICO INSTRUMENTALIZADO EM LIBRAS E BRAILE. Autores: Gilson Lima de Carvalho, Christiane Maria Costa Carneiro Penha, Antonio Ricardo Penha.O evento do Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro validou os nossos esforços principalmente cedendo um espaço para a exposição publica de todo material construido pelos alunos da Faculdade Gama e Souza, que hoje tem matriculado em suas cadeiras alunos surdos, cadeirantes, e com outras deficiências, onde todos contribuem com os seus esforços para a valorização do espaço acadêmico, e principalmente para a valorização profissional deste país.Aos alunos, parabéns pela dedicação diante dos inumeros obstáculos que tentaram impedir a valorosa vitória sempre possível aos batalhadores. Ao CRP 05 / RJ deixamos claro o respeito pela forma correta de inclusão social, onde os organizadores se mostraram convictos a essa questão.
© Copyright - Todos os direitos reservados
IES - Instituto Brasileiro de Empreendedorismo Social

sábado, 9 de janeiro de 2010

Produção Acadêmica


Leiam o livro:

Laboratório de Projetos de Qualificação em Libras - 88 págs.

Escrito a cinco mãos - por Antonio Ricardo Penha, Monica Astuto Lopes Martins, Laura Jane Messias Belem, Christiane Maria Costa Carneiro Penha e Layane Cristine de Souza - este livro revela, ensina, possibilita conhecer mais e melhor os alunos surdos e com isto criar opções claras, inteligentes e sobretudo objetivas para a sua inclusão em classes regulares. Laboratório de Projetos de Qualificação em Libras se une aos trabalhos sérios neste campo, marcando como um divisor de águas este universo entre professores e alunos. A leitura desta obra certamente irá provocar reflexões e mudanças no campo da educação especial.

Livros que valorizam o professor pesquisador


Diferentes Contextos na Educação - 136 págs.
Escrito a onze mãos Antonio Ricardo Penha,
Christiane Maria Costa Carneiro Penha,
Adriana Amaral do Espírito Santo,
Alessandra de Sousa Pinheiro da Rocha,
Ana Cristina de Souza Teixeira,
Ana Paula Silva Oppenheimer Forte,
Clerian da Silva Pereira,
Gilselene Garcia Guimarães,
Juliana Gomes de Macedo,
Marly Mello de Luca,
Marta Sorvi dos Santos e
Michael George Costa Carneiro - este livro mostra olhares e comportamentos dentro da educação que sinalizam a diferença entre professores e mestres. Encontros e adaptações, vividas e produzidas ao longo de um histórico escolar, mostram o universo dos estudantes nas várias instituições de ensino espalhadas pelo País. Este livro traça com equilíbrio e imparcialidade um perfil da educação que nossos alunos recebem hoje e, mais ainda, revela quem são os profissionais que estão à frente deste processo. Educação como fator de competitividade é a tônica desta obra, única e imprescindível a quem atua no universo da educação nos dias de hoje.

O Meio Ambiente que faz mal aos olhos e a saúde

Nossa amiga Mônica de Souza, formada em Pedagogia pela Faculdade Gama e Souza (nota 10), enviou esta foto que retrata o quanto o povo maltrata os espaço onde vive.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Construtores de Cidadãos

Somos construtores de cidadãos quando nos importamos com os resultados de tudo que transmitimos aos nossos alunos de qualquer idade. Pedagogos ou Antropagogos, somos professores com o sentido máximo de atualizarmos seres humanos que buscam informações para o crescimento de um país. Estamos no primeiro plano dessa construção. Somos o alicerce, e talvez por isso não nos valorizam como se deveria de fato. Permaneçamos unidos e vocacionados para mudarmos esta realidade peversa. Estejamos sempre com a palavra, pois somos os Professores de Brasil