domingo, 20 de dezembro de 2015

Instituto de Dança Priscila Ferraz - Encerramento 2015.

Tel.: (21) 2693-3388 / (21) 98536-8874 / 98439-9001.
Fonte: Fotos e vídeos ( Ch Penha Projeto, Priscila Ferraz, Tatiane Siqueira, et al.).

domingo, 13 de dezembro de 2015

XV CONGRESO DE EDUCACIÓN COMPARADA: Ciudadanía mundial y Educación para el Desarrollo.

noviembre 16, 2016 – noviembre 18, 2016. La Universidad tiene entre sus funciones contribuir a generar y confrontar conocimiento científico entre distintos contextos y ámbitos para trasladarlo a la sociedad, con el fin de fomentar el desarrollo humano y sostenible del planeta. En ese sentido, debemos plantear un modelo de desarrollo que reconozca el derecho de las generaciones futuras a tener un planeta digno, preocupándonos no sólo por el mundo que dejamos, sino que también debemos centrarnos en qué ciudadano/a se espera en un mundo cada vez más globalizado. Consideramos que el concepto de ciudadanía mundial integra la educación para el desarrollo y los derechos humanos, la educación ambiental, la educación para la paz, la multiculturalidad y el género, pero de forma transversal, ya que es una formación que contempla la estrecha interrelación e interdependencia entre todas ellas. Según la UNECO (2013, p.3)[1]: La educación para la ciudadanía mundial apunta a empoderar a los educandos en aras a que participen y asuman funciones –tanto a nivel local como global– en la resolución de desafíos internacionales, y que se involucren haciendo un aporte proactivo en la búsqueda de un mundo más justo, pacífico, tolerante, inclusivo, seguro y sostenible. En este sentido, cuando hablamos de una “educación para...” lo hacemos desde una perspectiva global aunque sitúe el acento en una u otra dimensión. Las “educaciones para...” constituyen los pilares de la formación de la ciudadanía mundial, y según Aristizábal (2006)[2] es una educación transformadora y comprometida caracterizada por: Una dimensión global del análisis de la realidad social, estableciendo conexiones entre lo local y lo global, tanto en las causas de las injusticias como en sus soluciones. Una educación que fomente en el alumnado el juicio crítico y una actitud transformadora de la realidad. Un enfoque basado en los derechos humanos y una educación que comprometa al alumnado en una ciudadanía global y activa. Unos procesos educativos participativos, activos, que huyan del adoctrinamiento, que favorezcan la autonomía y faciliten la participación y el compromiso. Por todo ello, en este congreso pretendemos contribuir a esta ciudadanía global a través de una reflexión conjunta, un proyecto compartido, y una preocupación que nos une en relación a cómo transferir a la sociedad esos conocimientos y propuestas de mejora para contribuir a la formación de ciudadanos/as críticos, responsables y comprometidos con el desarrollo humano y el desarrollo sostenible del planeta, desde una dimensión mundial e internacional de la realidad que nos rodea. Este espacio de reflexión conjunta es una oportunidad para replantear ciertos modelos de crecimiento y su impacto sobre las políticas de sostenibilidad que pretenden incidir sobre la pobreza, la inmigración, la cooperación al desarrollo, el cambio climático, etc., políticas que deberían articularse a través de verdaderas instituciones globales y el desarrollo del concepto de Ciudadanía Mundial. El camino por recorrer es muy largo, y sólo hemos andado un corto trecho, pero aunque sepamos que el final del camino es una utopía, debemos de seguir avanzando en él, a pesar de que las tendencias de hoy por hoy parecen ir en otra dirección. Es un deber nuestro como agentes de transformación social mantener viva esa utopía y contribuir a la formación de profesionales y ciudadanos/as comprometidos con el desarrollo humano y sostenible, que es lo que pretende actualmente la Educación para el Desarrollo bajo el modelo de Educación para la Ciudadanía Mundial. Lo que pretendemos es compartir algunas reflexiones sobre los avances y retrocesos en esta materia, analizar los retos de futuro y recoger algunas propuestas sobre qué podemos hacer nosotros desde el ámbito universitario y como ciudadanos y ciudadanas. En definitiva, establecer un debate sobre cómo pueden cambiar el mundo ciudadanos y ciudadanas activos/as, Estados eficaces y un sector privado responsable, para la lucha contra la inequidad, buscando el codesarrollo y la sostenibilidad de un planeta que nos pertenece a todos y a todas. Fonte: Universidad Pablo de Olavide. Acesso em http://www.upo.es/ocs/index.php/congresoseec2016/seec2016

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

sábado, 28 de novembro de 2015

UCAM - MESTRADO 2016

Mestrado em Economia e Gestão Empresarial>> Objetivo: O objetivo do programa de Mestrado em Economia e Gestão Empresarial é formar executivos capazes de compreender os impactos da política econômica sobre as organizações, de atuar nas decisões estratégicas das empresas e de formular cenários para o desenvolvimento empresarial. Carga Horária: 660 H/A. Horário: Turma da noite: 2ª à 6ª (18:30h às 21:30h). Turma de finais de semana: 6ª (18:30h às 21:30h) Sáb (09:00 às 12:00h e 13:30h às 16:30h). Período: Turma da noite: (2 anos). Turma de finais de semana: (2 anos e 6 meses). Informações: Mestrado em Economia e Gestão Empresarial. Rua da Assembléia, 10 - Sala 319 - Centro - RJ. Tel.: (21) 3543-6494 ou (21) 2232-8451. e-mail: mestradoeconomia@candidomendes.edu.br

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

AEDB: várias opções de cursos de MBA e pós-graduação em diversas áreas.

Atualmente, o mercado de trabalho, cada vez mais competitivo, vem exigindo profissionais altamente qualificados. Hoje, para o profissional conseguir uma vaga no mundo do trabalho é necessário que em seu currículo conste pelo menos um curso em nível de pós-graduação. Para atender essa necessidade crescente de formação de profissionais pós-graduado, a Associação Educacional Dom Bosco – AEDB, através de seu Centro de Pesquisa, Pós-graduação e Extensão – CPGE, tem oferecido, permanentemente, uma série de cursos de pós-graduação lato-sensu e também de MBA, em convênio com a Fundação Getúlio Vargas – FGV. MBA com a qualidade FGV: Em convênio com a FGV, estão abertas as matrículas para os cursos de MBA em Gerenciamento de Projetos e Gestão Financeira, Auditoria e Controladoria, com turmas no campus da AEDB, em Resende, e também na unidade AEDB/FGV em Volta Redonda. Há também a opção do MBA em Logística e Supply Chain, com turma apenas em Volta Redonda. O curso de Gerenciamento de Projetos está previsto para iniciar em Resende no dia 23 novembro. Já em Volta Redonda, o início das aulas está marcado para 28 de novembro. Pós-graduação AEDB: No campus da AEDB, estão abertas as matrículas para os seguintes cursos de pós-graduação oferecidos pela AEDB, nas áreas de Engenharia, Educação e Meio Ambiente: Engenharia da Qualidade (turma já iniciada); Engenharia da Produção Automotiva (início fevereiro/2016); Psicopedagogia Institucional e Clínica (início março de 2016); e Perícia Ambiental (início março de 2016). Os interessados poderão obter mais informações pelos endereços eletrônicos cpesq@aedb.br e fgv@aedb.br e pelos telefones (24) 3383-9040 (Resende) e (24) 3348-1642 (Volta Redonda). Também no site www.aedb.br é possível encontrar informações completas sobre o conteúdo desses cursos. Fonte: AEDB. Por e-mail: Virgínia Calaes: AEDB - Assessoria de Comunicação.

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

IESP - Instituto de Estudos Sociais e Políticos: Seminário GEMAA.

Bem-vindo ao IESP-UERJ! O Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), sucessor desde 2010 do antigo IUPERJ, é um centro de pesquisa e ensino de Pós-graduação em Ciência Política e Sociologia de destaque na América Latina. Foi aqui que surgiu o primeiro doutorado em Ciência Política do Brasil, com a primeira tese defendida já em 1971. Desde lá foram defendidas 222 teses de doutorado em Ciência Política e 157 em Sociologia, 321 dissertações de mestrado em Ciência política e 237 em Sociologia. Geração após geração, os cientistas sociais formados pela instituição passaram a integrar os quadros docentes de universidades de prestígio em todo país e no exterior, ou seguiram carreiras em instituições públicas e privadas. O IESP teve papel decisivo na fundação da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (Anpocs), na década de 1970, e da Associação Brasileira de Ciência Política (ABCP), na década seguinte. O IESP também edita a Dados – Revista de Ciências Sociais. Publicada de forma ininterrupta desde 1966, a Dados é indexada no Institute for Scientific Information – ISI (Thomson Co), com alto impacto nas ciências sociais no Brasil e ampla projeção na América Latina. A Pós-graduação em Ciência Política compreende um mestrado e um doutorado com as seguintes áreas de concentração e linhas de pesquisa: Relações internacionais e política comparada: Análise política comparada; Democracia, modalidades de capitalismo e desenvolvimento em perspectiva comparada; Política internacional e análise de política externa. Instituições e comportamento político: Instituições políticas e políticas públicas; Mídia e opinião pública; Sistemas eleitorais e sistemas partidários e comportamento político. Teoria política: Teoria política clássica, moderna e contemporânea; Teorias e metodologias de análise textual históricas e não-históricas; Pensamento político brasileiro. A Pós-graduação em Sociologia compreende um mestrado e um doutorado com as seguintes áreas de concentração e linhas de pesquisa: Desigualdades, mobilidade Social e trabalho: Estratificação e mobilidade social; Trabalho e sociedade; Metodologia quantitativa e qualitativa. Sociologia Política e Urbana: Ação coletiva, cidadania e movimentos sociais; Violência, juventude e sociabilidade; Estudos urbanos e regionais. Teoria Social: Teorias sociológicas; Teoria social e modernidade; Filosofia das ciências sociais. O corpo docente dos Programas de Sociologia e Ciência Política do IESP-UERJ é composto por professores com formação em universidades do Brasil, Europa e Estados Unidos. A excelência do ensino está intimamente ligada à qualidade da pesquisa desenvolvida na casa, seja por pesquisadores individuais ou nos 14 grupos de pesquisa sediados na instituição. Por toda sua história, o IESP tem mantido um papel de liderança nas ciências sociais brasileiras e de centro de referência para pesquisadores do Brasil e do exterior, atraindo um grande número de convidados internacionais, nas funções de palestrantes, pesquisadores convidados, professores e estudantes visitantes. Muitos estudantes estrangeiros passaram por seus programas de mestrado e doutorado. A instituição está aberta e incentiva o acolhimento de estudantes de outros países, e ativamente promove meios para viabilizar sua estada no Rio de Janeiro, seja através de bolsas de estudo de agências de financiamento brasileiras seja por meio de convênios internacionais.
Maiores informações em: http://www.iesp.uerj.br

terça-feira, 27 de outubro de 2015

AEDB: XII Simpósio de Excelência em Tecnologia e Gestão.

Nos próximos dias 28, 29 e 30, a Associação Educacional Dom Bosco estará recebendo pesquisadores, professores e estudantes de Faculdades e Universidades de todo o Brasil, para participar do XII Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia – SEGeT. Realizado anualmente, sempre em outubro, mês em que acontece, também, a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, o SEGeT recebeu, este ano, cerca de 250 trabalhos científicos sobre o tema geral “Otimização de Recursos e Desenvolvimento”. Além da apresentação oral e exposição de pôsteres dos trabalhos inscritos, consta da programação do Simpósio a realização do minicurso “Introdução ao Gerenciador de Referências Mendeley”, ministrado pelo Prof. Dr. Roberto Leoni, e a Oficina de Empreendedorismo, a cargo do Prof. MSc Valdésio Benvenutti e do Prof. Dr. Evandro Bittencourt, da Universidade do Estado de Santa Catarina. Serão realizadas, também, visitas técnicas à INB – Indústrias Nucleares do Brasil, à Guardian do Brasil e ao Parque Nacional do Itatiaia, além de um city-tour por Penedo, charmosa colônia finlandesa localizada no município de Itatiaia. No dia 29, acontece o jantar de confraternização e premiação dos melhores trabalhos na categoria apresentação oral, no restaurante Querência Gaúcha, em Penedo. O encerramento do XII SEGeT acontece no campus da AEDB, dia 30, às 14,30h, com a entrega dos prêmios aos melhores trabalhos na categoria pôster. A equipe de cada trabalho premiado ganhará um notebook. Os interessados em assistir à apresentação dos trabalhos científicos no Simpósio, podem se informar como proceder, acessando o site www.aedb.br/seget - Fonte: Virgínia Calaes. AEDB -Assessoria de Comunicação. Tel.:3383-9051. Realização do Simpósio científico - AEDB

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

É PROIBIDO MIAR: COM AUDIODESCRIÇÃO E LÍNGUA DE SINAIS.

É proibido Miar! Um movimento crescente tem levado artistas do palco a utilizar recursos de acessibilidade, como audiodescrição (relato do que se passa em cena para espectadores com deficiência visual) e interpretação em Libras (a língua de sinais para entendimento dos espectadores surdos). Mas os criadores da peça infantil É Proibido Miar, que estreou na Sala Álvaro Moreyra, em Porto Alegre, resolveram radicalizar: incorporaram esses recursos na própria dramaturgia. São os atores que descrevem o que se passa em cena e realizam a interpretação em Libras, tudo isso enquanto atuam.
A motivação vem do tema do respeito à diferença tratado no espetáculo, uma adaptação do livro de Pedro Bandeira de mesmo título dirigida por Denis Gosch. É a história do cachorrinho Bingo (vivido por Joana Amaral), que faz amizade com um gato. No momento solene do primeiro latido, Bingo surpreende a família com um miado. Após a rejeição, tem início sua desventura: ele é levado pela carrocinha e segue sofrendo preconceito de outros cachorros. Também integram o elenco Dani Dutra, Douglas Dias e Juliana Kersting, que teve a ideia da adaptação porque ainda guarda na memória a emoção da primeira leitura do livro de Bandeira, quando tinha oito anos: "Eu me identifiquei. Tinha um irmão mais velho que era especial, então talvez tenha a ver com essa relação. A leitura ecoou essa minha experiência de lidar com a diferença desde que me entendo por gente. Lá por 2012 ou 2013, mostrei o livro para o Denis com a ideia de montar o espetáculo". Esta é a primeira produção da MA Companhia – Teatro, Dança e Assemelhados (lê-se “má companhia”), que reúne artistas que já trabalharam juntos em coletivos como Sarcáustico, Muovere e Macarenando, entre outros. Sobre os próximos projetos, Gosch explica: "Agora, estamos com esse desfio da acessibilidade. Ainda tenho vontade de experimentar muitas coisas com Libras. Me encanta o gestual. Como eu tenho uma relação com a dança, tenho vontade de desenvolvê-lo coreograficamente". Meia hora antes de cada sessão, os atores receberão o público para um “tour tátil”, uma oportunidade para tocar no cenário e nos figurinos, propositalmente criados com diferentes texturas. Origem: Zero Hora. Fonte: Blog da Audiodescrição. Acesso em http://www.blogdaaudiodescricao.com.br/2015/10/e-proibido-miar-com-audiodescricao-e-lingua-de-sinais.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+BlogDaAudiodescricao+%28Blog+da+Audiodescri%C3%A7%C3%A3o%29

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

II Encontro em comemoração ao dia do surdo - CIEP Oswald de Andrade.

O Evento foi organizado pelo CIEP Oswald de Andrade , 6.ª Coordenadoria de Educação, SME, Cidade do Rio de Janeiro, no dia 29 de setembro de 2015.
O evento abordou aspectos importantes como a cultura e identidade surda. O instrutor de Libras Fabiano, apresentou-se junto com o coral de alunos surdos da U.E. com a interpretação musical realizada em sua língua materna (LIBRAS).
Abertura: Professora Cláudia carvalho. A professora Christiane Penha (GED - 6.ª CRE) ministrou uma palestra informativa sobre os aspectos de prevenção da surdez (primários e secundários). Houve contação de histórias em Libras: os três porquinhos (instrutor de Libras e alunos surdos) e chapeuzinho vermelho (Profa. Maysa). Estiveram presentes: os responsáveis dos alunos, a diretora Maria de Fátima Monteiro, alunos surdos e ouvintes, professores, instrutores e intérpretes de libras e as professoras que compõem a equipe de acompanhamento do Instituto Municipal Helena Antipoff (IHA): Valéria e Deise. Parabenizamos a todos, e destacamos a funcionalidade dos materiais adaptados, desenvolvidos pela professora Claudia Carvalho da Sala de Recursos do CIEP. Palestrante: Professora Christiane Penha.

domingo, 20 de setembro de 2015

UNICAMP: SEMINÁRIO INTERNACIONAL BRALE 2.

O presente seminário é uma nova etapa e nova oportunidade para aprofundar as ações de parceria, intercâmbio e cooperação entre o Brasil e a Alemanha. Trata-se de um seminário de encerramento do Programa UNIBRAL: Parcerias Universitárias para a educação superior, que nos anos de 2014 e 2015 propiciou com o apoio da CAPES e do DAAD alemão missões científicas, conclusão de créditos em disciplinas para alunos nos dois países (10 bolsistas alemães no Brasil e 9 bolsistas brasileiros na Alemanha), além de discussões qualificadas visando a aproximação curricular, publicação e geração de relatórios qualificados das pesquisas. O programa UNIBRAL, que tem seu lastro no acordo de cooperação com a Universidade de Siegen propiciou uma intensa troca cultural, experiências práticas em estágios aos estudantes brasileiros e uma abertura ainda maior da Unicamp para iniciativas enriquecedoras que colocam a América latina e suas universidades com grande reputação no centro das discussões sobe internacionalização da educação superior. O foco específico do seminário será a questão do desenvolvimento humano a partir dos processos de internacionalização e de inclusão social previstos na formação superior. Nessa troca teórica e prática, celebra-se um bem sucedido diálogo entre instituições e culturas, essencialmente pautado na superação de desafios, tanto os de ordem curricular quanto os que se referem à relação com o diferente. O evento contará também com o lançamento do livro Biosfera de Estudos Educacionais, produção conjunta do envolvidos nesse Programa institucional financiado pela CAPES. Local: Casa do Professor Visitante - CPV/FUNCAMP. Sala Nova Iorque. Av. Érico Veríssimo, 1251. Cidade Universitária “Zeferino Vaz”. Campinas–SP / 13083-970. Fone: (19) 3521-2809 / (19) 3521-2810. Outras informações: https://www.fe.unicamp.br/brale2015/

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

2ª Semana Pedagógica da Gerência de Educação da 6° CRE - SME - Rio de Janeiro.

A Escola Municipal Alexandre Farah, em Ricardo de Albuquerque, realizou diversas atividades com professores e funcionários durante a 2ª Semana Pedagógica da Gerência de Educação da 6° CRE. O vídeo da MultiRio Web TV destaca alguns momentos do evento que trata da importância da escola pública de qualidade, da organização do trabalho pedagógico e das temáticas do cotidiano escolar. Fonte: 2ª Semana Pedagógica da Gerência de Educação da 6° CRE. Acesso em https://www.youtube.com/watch?v=1pfobNLAqys

domingo, 6 de setembro de 2015

Estudo explica por que autistas são geralmente mais criativos.

Se você tivesse que pensar em usos alternativos para um clipe de papel, que resposta daria? Hum… que tal um cabide, um alfinete, fazer joias com ele ou mesmo usar para limpeza de objetos pequenos? Nada muito criativo, não? E se a resposta fosse: uma mola ou uma peça para um jogo? Essas respostas ajudaram um estudo a concluir que pessoas com características autistas dão respostas mais criativas para problemas que testam o chamado “pensamento divergente”, ou seja, a capacidade de oferecer várias respostas diferentes a uma pergunta. A pesquisa foi publicada recentemente na revista Science Advances. Psicólogos da Universidade de East Anglia e da Universidade de Stirling, no Reino Unido, fizeram a pesquisa com pessoas que não têm o diagnóstico de autismo, mas que têm muitos comportamentos e processos de pensamento associados ao autismo. Esses participantes sugeriam menos soluções, mas de qualidade e originalidade superior às propostas por pessoas com menos características autistas. “As pessoas com grau mais alto de características autistas tiveram menos ideias criativas, mas de maior qualidade. Considera-se geralmente que o pensamento deles é mais rígido, portanto, o fato de que suas ideias são mais incomuns ou raras é surpreendente. Essa diferença pode ter implicações positivas para a resolução de problemas criativos”, afirma Martin Doherty, um dos autores. Direto para o desafio: Estudos anteriores usando as mesmas questões mostraram que a maioria das pessoas usa primeiro estratégias mais simples, por exemplo, associação de palavras, para produzir respostas óbvias. Só depois passam a pensar em estratégias mais complexas e as respostas se tornam mais criativas. A pesquisa sugere que as pessoas com mais traços de autismo vão direto às estratégias mais difíceis. “As pessoas com traços autísticos abordam os problemas de criatividade de uma forma diferente”, diz Doherty. “O caminho da associação ou da memória para ser capaz de pensar em ideias diferentes é comprometido, enquanto a habilidade específica de produzir respostas incomuns é relativamente não comprometido ou superior”. Para a autora Catherine Best, da Universidade de Stirling, o estudo explica como algumas pessoas portadoras de algo que é visto como “deficiência” mostram criatividade superior em algumas áreas. “É preciso perceber que há grande variação entre as pessoas com autismo. Pode haver pessoas cuja habilidade de trabalhar independentemente é comprometida e outras que são muito menos afetadas. Da mesma forma, nem todos com o distúrbio, ou traços associados a ele, vão ser bons em resolver problemas criativos. Entender essa variação será peça chave para entender o autismo e o impacto que ele tem na vida das pessoas”, disse. Metodologia: Os pesquisadores analisaram dados de 312 pessoas que fizeram um questionário anônimo online para medir seus traços de autismo e fizeram uma série de testes criativos. Os participantes foram recrutados via mídia social e sites para pessoas com Transtorno do Espectro Autista e seus parentes – 75 dos participantes disseram que receberam diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista. Para testar o chamado “pensamento divergente”, pediu-se aos participantes que criassem quantos usos alternativos conseguissem para um tijolo ou clipe. A resposta foi classificada de acordo com a quantidade, elaboração e originalidade. Pessoas que propuseram quatro ou mais respostas originais tinham nível mais alto de características autistas. As respostas mais simples do início dessa reportagem foram de pessoas com menos traços, enquanto as mais originais foram de pessoas com mais características autistas. Origem: Notícias UOL(http://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2015/08/22/estudo-explica-por-que-autistas-sao-geralmente-mais-criativos.htm). Fonte: Autismo & Realidade. Acesso em http://autismoerealidade.org/noticias/estudo-explica-por-que-autistas-sao-geralmente-mais-criativos/?utm_campaign=informativo_ar_-_setembro_para_aprovacao&utm_medium=email&utm_source=RD+Station

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

FIAP - Informativo 2015.2

A tecnologia reinventa o futuro a cada dia. O amanhã já é agora. A FIAP acredita nesse poder transformador. Um poder capaz de mudar a forma como vivemos. Por isso, antecipa o futuro diariamente, criando oportunidades para o surgimento de novos talentos criativos nas áreas de tecnologia, inovação e empreendedorismo. Então aproveite para fazer seu MBA no centro de referência em tecnologia mais respeitado do Brasil. São 17 cursos para você escolher, com opção de extensão internacional na Babson College (Boston), Nova Business School & Economics (Lisboa) ou na Hyper Island (NY, Estocolmo, Singapura e São Paulo). MBA em Gestão de Projetos com Práticas do PMI® - MBA em Gestão Estratégica de Negócios - MIT - Master Information Technology - MBA em Cibersegurança - MBA em Gestão da Tecnologia da Informação - MBA em Arquitetura de Soluções - MBA em Arquitetura e Gestão de Infraestrutura de TI - MBA em Big Data (Data Science) - MBA em Business Intelligence - MBA em Engenharia de Software Orientada a Serviços - SOA - MBA em Gestão de Processos - MBA em Arquitetura de Redes e Cloud Computing - MBA em Arquitetura e Administração de Banco de Dados - MBA em Desenvolvimento de Aplicações JAVA - SOA e IoT - MBA em Desenvolvimento de Aplicações e Games para Dispositivos Móveis - IoT. Fonte: Informativo da FIAP. Acesso em https://www.fiap.com.br/mba/?utm_source=imasters&utm_medium=email-cursos-institucional&utm_campaign=mba2015-2#cursos

terça-feira, 1 de setembro de 2015

MAR - Museu de Arte do Rio.

Imagens: Guito Moreto/ Agência O Globo. Manifestações de grupos indígenas em frente ao prédio do BNDES durante a Rio + 20, Rio de Janeiro RJ, 17/6/2012 Col. MAR. Doação O Globo. Evandro Teixeira: A volta da baiana do samba nos trilhos da Central do Brasil, 1979 Col. do artista. Abertura de exposições: 15.9.2015. Ângulos da notícia - 90 anos de fotojornalismo em O Globo. A história do Rio de Janeiro passa pelas narrativas construídas por seus meios de comunicação. A exposição apresenta um percurso através do rico arquivo fotográfico do jornal "O Globo", sublinhando sua contribuição para o fotojornalismo brasileiro em seus 90 anos de atuação. As fotos abrangem os principais temas do veículo e, em especial, sua dedicação ao Rio de Janeiro. Curadoria "O Globo" e MAR. No dia 15, às 11h, haverá Conversa de Galeria com os curadores da exposição. 22.9.2015. Evandro Teixeira: a constituição do mundo - A trajetória de quase 60 anos do fotojornalista Evandro Teixeira confunde-se com o imaginário carioca, atravessando aspectos tão diversos da vida da cidade quanto o universo da praia, da música e das manifestações estudantis ao longo da ditadura militar. Sua obra amplia-se para além do Rio de Janeiro, com em um dos principais ensaios documentais do país exibidos na mostra, sobre a região de Canudos, hoje pertencente à Coleção MAR por meio de generosa doação do artista. Evandro também pensou além do Brasil, como nas séries dedicadas à morte de Pablo Neruda e às circunstâncias políticas do Chile. Curadoria de Paulo Herkenhoff e Marcia Mello. No dia 22, às 11h, haverá Conversa de Galeria com o fotojornalista e curadores.

CCE PUC-RIO

INSTITUTO IDEIA: MESTRADOS E DOUTORADOS NO MERCOSUL.

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

AUDIODESCRITOR: CARREIRA EM ASCENSÃO, MESMO EM ÉPOCA DE CRISE.

Os ponteiros do relógio têm ritmo próprio, dependendo de quem consulte as horas. Para aqueles que foram diretamente afetados pela crise econômica e o desemprego — que atingiu 6,9% em junho, a maior taxa dos últimos cinco anos segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) —, as horas andaram para trás. No entanto, para quem resolveu apostar em determinados mercados novos, em que há mais demanda do que oferta de profissionais, a marcha dos ponteiros continua à frente.
(Sofia - faz audiodescrição em eventos e percebe alta procura em Brasília. A procura por gerontólogos, audiodescritores, analistas sensoriais e algumas outras carreiras continua em alta, como atesta Yara Leal, que trabalha há mais de 20 anos como gerente de desenvolvimento de RH e consultora de consumo e negócios. "A crise muda tudo, mas alguns setores são menos afetados. São profissionais estratégicos em empresas ou que atuam em nichos específicos que continuam crescendo", analisa a sócia-diretora do grupo Questão de Coaching. "Há mais demanda por serviços de personal — como o organizer e o stylist — porque o estilo de vida mudou, e as pessoas têm menos tempo. É uma oportunidade para se especializar e até de oferecer novos subprodutos, já que isso está se popularizando, e a clientela não é mais só da elite. A área de atuação do gerontólogo cresce com o aumento do número de pessoas mais velhas. A carreira de audiodescritor está em alta não porque tenha aumentado o número de cegos: o que mudou é que eles estão mais inseridos na sociedade e cobram acessibilidade", exemplifica Yara sobre novos nichos de mercado. "Com relação a carreiras estratégicas, uma delas é a de analista sensorial. “Ele define diferenciais para um produto, como um cheirinho ou sabor característico. É um potencial pouco explorado que deve crescer". Confira o dia a dia de quatro profissões em ascensão e oportunidades de trabalho e cursos: Audiodescrição: Função: transmitir objetivamente informações visuais contidas em obras de arte, filmes, espetáculos e eventos sem se sobrepor ao conteúdo sonoro, em um processo que visa compensar elementos visuais com palavras Remuneração: em eventos presenciais, o preço médio da hora gira em torno de R$ 200. Pela diária de sete horas, os serviços custam de R$ 1.200 a R$ 1.400. No caso de audiodescrição voltada para tevê e cinema, o minuto de adaptação varia de R$ 100 a R$ 150, já que envolve outros profissionais, como roteirista e até diretor. Em 2012, a discussão em torno das políticas de acessibilidade para pessoas com deficiência se intensificou com a criação do Projeto de Lei (PL) nº 4.248, que exige o uso de audiodescrição nos filmes exibidos nos cinemas e nos canais de televisão. Em consonância com o discurso, a Portaria nº 188/2010, do Ministério das Comunicações, determina o uso da audiodescrição em, pelo menos, duas horas semanais na programação das emissoras de tevê aberta que operam em sinal digital. "O audiodescritor tem que entender a estética do produto que está traduzindo, essa é uma sensibilidade que se adquire com esforço e estudo", explica a professora Soraya Ferreira, que coordena um grupo de pesquisa e extensão em audiodescrição na UnB chamado Acesso Livre. Há cerca de um mês, Sofia Fiore, 24 anos, aluna de pedagogia na insituição, criou uma empresa que oferece serviços de audiodescrição. A ideia que deu origem à Verbo Produções Audiovisuais surgiu no grupo de pesquisa e extensão coordenado por Soraya. "Começaram a nos chamar para realizar trabalhos fora da universidade, foi aí que eu me dei conta da alta procura por audiodescritores em Brasília", conta a estudante. A matéria completa está disponível na versão impressa e online para assinantes do jornal Correio Brasiliense. Fonte: Blog da audiodescrição. Acesso em http://www.blogdaaudiodescricao.com.br/2015/07/audiodescritor-carreira-em-ascensao.html

domingo, 16 de agosto de 2015

Boletim do Conselho Regional de Psicologia SP.

PROGRAMAÇÃO DE ATIVIDADES DO CRP SP EM COMEMORAÇÃO AO DIA DA(O) PSICÓLOGA(O) JÁ ESTÁ NO AR. Dia da/o Psicóloga/o 2015. Para marcar a comemoração do Dia da(o) Psicóloga(o) de 2015, celebrado em 27 de agosto, o CRP SP preparou uma programação especial com uma série de encontros, atividades culturais, oficinas, cine debates entre outras iniciativas em diversas cidades do estado. Consulte a programação de sua Subsede diretamente no site exclusivo do Conselho para o Dia da(o) Psicóloga(o) e inscreva-se nas atividades de interesse! A relação atividades da data também pode ser acessada na seção de eventos da nossa página no Facebook, aproveite para compartilhar a programação com outra(s) psicóloga(s)! Lembramos que as inscrições serão recebidas somente pelo formulário do site.
ECA 25 ANOS: CRP SP LANÇA CAMPANHA NA PRIMEIRA SEMANA DE SETEMBRO. Anote: Acontece no dia 5/9, das 9h às 12h, na Praça das Artes (Avenida São João, 281, Centro, São Paulo) o lançamento da campanha dos 25 anos do ECA. Ao longo de um ano, a programação da campanha promoverá o debate de dezenas de temas fundamentais relacionados à infância e adolescência. Serão realizadas em todo o estado 25 rodas de conversa formadas por jovens, psicólogas/os e jornalistas. O objetivo é privilegiar em cada local que sediará uma roda o assunto que mais impacta a juventude e a comunidade do entorno. Saiba + na reportagem especial do jornal PSI e fique de olho na programação das rodas de conversa no site www.crpsp.org.br.
SAÚDE MENTAL É QUESTÃO DE SAÚDE E NÃO DE SEGURANÇA! O CRP SP manifestou-se quanto à solicitação da Defensoria Pública do Estado de São Paulo e da organização Conectas Direitos Humanos, para emissão de parecer acerca dos possíveis danos à saúde mental e para o equilíbrio psicológico que o isolamento prolongado em solitárias pode ocasionar às pessoas submetidas a este, especialmente no Regime Disciplinar Diferenciado (RDD), bem como sobre outras questões enfrentadas pela pessoa acometida por sofrimento psíquico, submetida ao encarceramento em estabelecimentos penais comuns, sem qualquer estrutura que permita o devido tratamento de sua saúde mental. Adicionalmente, ingressou como amicus curiae da Organização Conectas Direitos Humanos, em Ação Direta de Inconstitucionalidade, quanto ao Regime Disciplinar Diferenciado (RDD). O Conselho tem sido reconhecido por suas contribuições na garantia da defesa dos direitos humanos e políticas públicas. Assim, é contrário a qualquer modelo de encarceramento para responder às questões sociais e é favorável à reforma psiquiátrica, à luta antimanicomial, e entende que na impossibilidade do cumprimento da medida de segurança em um local destinado a esta, a alternativa deve ser a liberdade, atendimento em saúde pela rede e jamais a integração desta pessoa ao sistema prisional, que tem se mostrado totalmente ineficaz quanto à ressocialização e diminuição das taxas de reincidência, além de reproduzir e perpetuar sofrimento psíquico, afrontando diretamente seus direitos humanos. DIA NACIONAL DA BVS-PSI: Em 27 de Agosto, além do Dia da(o) Psicóloga(o), será comemorado o Dia Nacional da Biblioteca Virtual em Saúde - Psicologia (BVS-Psi Brasil), uma coleção descentralizada e dinâmica de fontes de informação na área. Além de apresentar os recursos e funcionalidades da BVS-Psi, a proposta é principalmente orientar sobre como realizar buscas e consultas às informações científicas de maneira eficaz e segura. Nesta data, serão organizadas atividades informativas e educativas para o uso das bases de dados mais pertinentes ao ensino e formação dos psicólogos. Todas as bibliotecas de instituições com cursos de Psicologia podem e devem participar para ampliar a capacidade de acesso às informações por parte dos alunos, professores e pesquisadores dos mais de 500 cursos do país. http://www.crpsp.org.br/portal/boletim/

sábado, 8 de agosto de 2015

Psicopedagogia Online: novos artigos!

ARTIGOS! Família no processo de aprendizagem da criança: Rosimeire Pereira Gois da Silva orientador: dra. Magda Jaciara de Andrade Barros. Famílias, relações de gênero e representações sociais: Adriana Horta de Faria e Josiane Peres Gonçalves. Desafios e Possibilidades da Prática Psicopedagógica: Elisandra Silveira Raupp e Aline Accorssi. A identidade do masculino e do feminino: Claudenice Fernandes Barbosa Santos e Eliza Alves Landin. A Influência da Interação Professor-Aluno: Eliza Alves Landin e Rosângela Lopes Damas. Desenvolvimento de Linguagem e Fonoaudiologia: Priscila Ana Gabriela Olivati, Andréa Ferreira Latanzio, Regina Nunes Misquiatti. Promoção da Saúde na Escola Nadir Colaço, Recife - Pernambuco: Olga Maria Ramalho de Albuquerque. A Teoria Piagetiana e a Aprendizagem: Danielly Emilia Stachera e Franciéli Arlt Lopes. A avaliação do psicopedagogo sobre a depressão infantil: Alessandra Aparecida da Silva e Magda Andrade Barros. Violência sexual, fatores de riscos e registros dos conselhos tutelares: Maria de Fátima P. Alberto, Milena Ataíde Maciel, Joana Azêvedo Lima, Yanathamires Mendes Felix, Lidivânia de Lima Santos e Wanessa Belarmino de Morais. Sexualidade infantil e a prática docente: Francieli Cavalheiro Viero, Josiane Lieberknecht Wathier Abaid, Cristiane Bottoli e Márcia Elisa Jager. Epistemologia da humanização na saúde contribuição psicopedagógica: Marcos Tadeu Garcia Paterra. .. DIVULGUE EM NOSSO BOLETIM INFORMATIVO: Mais de 55.000 e-mails. Mais de 1.200.000 page-views ao mês. Com a segmentação da divulgação você divulga para as pessoas certas. Psicanalistas, Fonoaudiólogos, Psicopedagogos, Psicólogos, Pedagogos, Educadores, Estudantes, etc... Sua divulgação fica em Cursos & Eventos durante 30 dias Fonte: © 1998 Psicopedagogia Online - Fone/Fax: 11-5054-1559. divulgacao@psicopedagogia.com.br - acesso: http://www.psicopedagogia.com.br/

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Maçonaria: curso de extensão na UERJ.

O Centro de Produção da Universidade do Estado do Rio de Janeiro abre inscrição para o curso de extensão Introdução à História da Maçonaria. O público alvo compreende estudantes, professores e entusiastas das áreas de Educação, Filosofia, História, Antropologia, Sociologia, Pedagogia, Magistério, livres-pensadores e público interessado em geral. O objetivo do curso é criar base para o desenvolvimento de uma pesquisa histórica crítica sobre a instituição conhecida como "Maçonaria", objetivando reduzir a defasagem entre os estudos históricos acadêmicos sobre o tema e os estudos desenvolvidos pela própria instituição maçônica. As inscrições podem ser feitas até 1º de setembro. No site do Centro de Produção da Uerj – www.cepuerj.uerj.brr é possível fazer a inscrição online, até o dia 01 de setembro. Mais informações: Período de realização – de 5 de setembro a 12 de dezembro. Dia e hora – Sábados, das 13h às 15h. CENTRO DE PRODUÇÃO DA UERJ: Rua São Francisco Xavier, 524. Maracanã, Rio de Janeiro, RJ. 1º andar, Bloco A, Sala 1006. CEP: 20559-900. Horário de atendimento na recepção: de 2ª a 5ª feira, das 9h às 18h / 6ª feira, das 9h às 16h30. Teleatendimento: (21) 2334-0639 de 2ª a 5ª feira, das 9h às 18h / 6ª feira, das 9h às 16h30. E-mail: cepuerj@uerj.br - Site www.cepuerj.uerj.br

segunda-feira, 20 de julho de 2015

LIBRAS FALANDO COM AS MÃOS - REVISTA APPAI EDUCAR:Escola Municipal Maurice Maeterlinck.

Por Tony Carvalho(Revista Appai Educar). A educação especial inclusiva no Brasil se tornou um mecanis- mo de discussão e de práticas de ações que contemplam o exercício da efetivação do respeito aos direitos humanos e repúdio ao preconceito. Os crescentes diálogos sobre a questão da acessibilidade possibilitaram que milhões de crianças, adolescentes, jovens e adultos pudessem ter o direito a um ensino com qualidade. O ideal de inclusão defendido pelas leis atuais prevê que todos possam frequentar a escola regular, e esta deve se fazer apta a recebê-los. Mas o que acontece quando a primeira língua dos alunos não é o português? Nesse caso, o ensino de Libras (Língua Brasileira de Sinais) se faz necessário.
No Rio de Janeiro, a gerência da 6ª Coordenadoria Regional de Educação vem realizando um trabalho nesse sentido, oferecendo aos professores cursos que os capacitem a lidar com estudantes surdos. Para a professora Kátia Barboza, gerente da GED da 6ª CRE, a escola é um espaço singular para o desenvolvimento da aprendizagem de forma sistemática, frente ao movimento de acessibilidade e, para tanto, precisa priorizar o ensino da Libras a sur- dos e ouvintes como uma das condições para garantir a permanência e o sucesso escolar.
“Quando chegamos na GED, em 2011, começamos a investir na questão da inclusão e, para tanto, iniciamos um processo de capacitação dos professores com o curso de Libras, ministrado pela professora Cristiane Penha, para que nossos edu- cadores tivessem mais condições de entender nossas crianças, de poder ajudá-las, trazendo-as para perto da gente e, em consequência, suas famílias, uma parceria fundamental para que o trabalho flua com mais facilidade”, afirma Kátia. Parabéns!!
Fonte: Revista APPAI EDUCAR, edição número 94, ano 2015, p.24 - 26. Acesso em http://www.appai.org.br/revistaappaieducar/