quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Celeste Duarte Baptista: Professora capacitada em diferentes saberes.

(para melhor visualização clique na imagem)
SOBRE A AUTORA: Professora e Coordenadora de Estudos Linguísticos - Leitura e Competência Comunicativa na UnG. * Professor capacitado nas áreas de Língua e Literatura Portuguesa e Francesa, Pedagogia e Psicologia, com habilitação em Administração Escolar, Supervisão de Ensino e Orientação Educacional. * Psicoterapeuta certificado voltado, preferencialmente, para o atendimento individual de jovens e adultos e problemas de aprendizagem. Iniciando uma Especialização em Psicologia Jurídica (2012) * Palestrante na área Pedagógica. * Professora do Ensino Superior atuando nas áreas de Letras (Português-Francês), Pedagogia e Psicologia. * de 1972 a 1980 foi Professora do Ensino Fundamental e Médio (Português e Francês), em Moçambique, Portugal e Brasil. *1969 a 1972 foi preparadora de Laboratório no Instituto de Investigação Agronômica de Moçambique (IIAM). * 1965 a 1969 foi Auxiliar de Revisão na Impresa Nacional de Moçambique (INM). Possui especializações em Ensino-aprendizagem, palestras, atendimento Psicanalítico e Psicopedagógico. Solicite o livro diretamente no e-mail celestebaptista@uol.com.br
Faculdade de Letras: Comissão de Pós-Graduação e Pesquisa. CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO)2013. LIBRAS: Ensino, Tradução e Interpretação. Coordenadora: Deize Vieira dos Santos. PERÍODO: I e II semestre de 2013 / I e II semestre de 2014. HORÁRIO: 3as e 4as das 12h às 17 h. EMENTA: Formar professores para atuar no ensino de LIBRAS, bem como profissionais nas áreas de interpretação e tradução de LIBRAS/Português e de Português/LIBRAS. O curso de Especialização em LIBRAS: Ensino, Tradução e Interpretação, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, formará professores e tradutores/intérpretes com sólidos conhecimentos da Língua Brasileira de Sinais como primeira e segunda línguas com ênfase na formação pedagógica e conhecimentos de metodologias de ensino de língua materna e de segunda língua. O curso também dará ênfase à formação de um cidadão informado, crítico e comprometido com as transformações sociais. É de grande interesse para o curso o desenvolvimento intelectual e moral de seus alunos, formação que os leve a tomar consciência dos problemas da educação de surdos e de sua responsabilidade junto à comunidade surda. PÚBLICO ALVO: Professores e instrutores, graduados, que ministram cursos de LIBRAS no ensino fundamental, médio e superior. Profissionais, graduados envolvidos com tradução/interpretação da LIBRAS/Português. Demais pessoas graduadas com proficiência em LIBRAS e interessadas em atuar nestas áreas. Etapas da seleção: Entrevista/Avaliação da Proficiência em LIBRAS – 27/02/2013 (quarta-feira) – 9h. Prova – 25/02/2013 (segunda-feira) – 13h. Resultado – 01/03/2013. PÓS-GRADUAÇÃO Literaturas Portuguesa e Africanas. Coordenadora: Gumercinda Nascimento Gonda. PERÍODO: I / II semestre de 2013. HORÁRIO: 3as e 5as, das 12h às 17h. EMENTA: Tendências contemporâneas das literaturas de Portugal, Angola e Moçambique. O descentramento da razão e a importância da crítica, da sensibilidade da imaginação como elementos de resistência literária à globalização atual, à crise dos paradigmas e ao abalo da ética em tempos neoliberais. Etapas da seleção: Prova – 25/02/2013 (segunda-feira) – 13h. Entrevista por escrito (pré-requisito para realização da prova escrita), a ser entregue no dia 25/02/2013 Resultado – 01/03/2013. Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ - Faculdade de Letras, Secretaria de Pós-Graduação - Sala F-309. Av. Horácio Macedo, 2151 - CEP 21941-917, Cidade Universitária. Rio de Janeiro, RJ - tel.: (21) 2598-9734.

Wak Projetos Culturais: minicursos no colégio Pedro II da TIJUCA.

Em março a WAK realizará quatro minicursos no colégio Pedro II da TIJUCA. São eles: Dia 9 de março de 2013 – Das 8h30 às 12h30: Tema: AS BASES NEUROCIENTÍFICAS DA APRENDIZAGEM. QUE CÉREBRO É ESSE QUE CHEGOU À ESCOLA? – Marta Pires Relvas – RJ. Dia 9 de março de 2013 – Das 14 às 18 horas: Tema: BRINCANDO E CRIANDO COM A PSICOMOTRICIDADE – Marcus Vinícius da Silva Nunes – RJ Dia 23 de março de 2013 – Das 14 às 18 horas: Tema: O CORPO TEM RAZÕES QUE COM A RAZÃO PODEMOS COMPREENDER – análise comportamental pelas expressões faciais e corporais – João Oliveira – RJ – autor do livro SAIBA QUEM ESTÁ À SUA FRENTE . Dia 23 de março de 2013 – Das 14 às 18 horas: Tema: HISTÓRIAS NA SALA DE AULA: Incentivando a leitura e contribuindo para o desenvolvimento integral das crianças ­– Marcia Lisboa – RJ. O valor de cada minicurso é de R$ 70,00, porém, para os clientes da Wak Editora reservamos algumas vagas até o dia 20 de fevereiro no valor de R$ 50,00 cada minicurso. (para melhor visualização clique na imagem)

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Especialização em Educação Corporativa: humanização do trabalho

A Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) informa aos interessados que até o dia 07 de fevereiro de 2013 estarão abertas as inscrições para o curso de Especialização em Educação Corporativa: humanização do trabalho, com início em março de 2013. As inscrições serão feitas presencialmente na Secretaria dos Cursos de Especialização da Faculdade de Educação, situada na Rua Francisco Xavier, nº 524, Pavilhão João Lyra Filho, 12º andar, Bloco B, Sala 12.031 - Maracanã, Rio de Janeiro. O valor de inscrição é de R$ 70,00 (setenta reais), pago através de boleto bancário retirado no local de inscrição. Após efetuar o pagamento da taxa, o candidato deverá retornar ao local da inscrição para preenchimento da ficha de inscrição e apresentar, obrigatoriamente, os documentos listados em edital. Dentre os objetivos do curso, destaca-se a revisão de temas sobre saúde, segurança, ambiente físico e social, com ênfase nas ocupações, valores, aspirações, realização pessoal e bem-estar geral do trabalhador. Trata-se de projeto educacional - educação continuada -, com o objetivo estratégico de melhoria do negócio, na perspectiva ergonômica. A meta é formar especialistas em Educação Corporativa que atuem de forma ética, crítica e reflexiva, na proposta de um trabalho melhor, socialmente responsável, sustentável e de qualidade. Público-alvo: Portadores de diploma de graduação plena, de tecnólogos de curso superior de formação específica nas áreas de Psicologia, Pedagogia, Educação, Engenharia, Medicina, Fisioterapia, Administração e licenciatura plena em qualquer área de conhecimento. Carga Horária: As aulas serão às 3ªs a 5ªs feiras, das 18h às 22h, com carga horária de 495 h/a, no período de 05/03/2013 a 05/12/2015. Informações: CENTRO DE PRODUÇÃO DA UERJ: Rua São Francisco Xavier, 524, 1° andar, bloco A, sala 1.006. Maracanã - Rio de Janeiro - RJ. Atendimento de 9h às 18h. Informações - Tel.: (21) 2334-0639. ou pelo site: http://www.cepuerj.uerj.br

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Educação executiva made in China ( No ESTADÃO).

Notícias > Educação: Programas que incluem intercâmbio em escolas do gigante asiático estão em alta no mundo. Por Carlos Lordelo (do Estadão.edu). A China é hoje o lugar mais “quente” do mundo para fazer um MBA Executivo, disse o jornal inglês Financial Times quando divulgou, em outubro, a última versão de seu tradicional ranking dos melhores programas do gênero. Segundo a publicação, muitos dos cursos top oferecidos no país asiático são operados em parceria com escolas de negócios de outros lugares, entre eles o Brasil. (Arquivo pessoal) Depois de ter aulas em Hong Kong, o ex-aluno do OneMBA Eduardo Eid foi a Pequim.
Executivos de todo canto viajam para a China em busca dos motivos que levaram o país a crescer a taxas astronômicas nas últimas décadas e a ocupar o posto de segunda maior economia do planeta. Também querem saber os desafios de administrar empresas por lá e de explorar um mercado consumidor de mais de 1 bilhão de pessoas. O aprendizado ocorre tanto nas universidades quanto nas visitas a companhias. Na 24.ª colocação do ranking do FT, o OneMBA vai mais longe. O curso é realizado em consórcio por cinco instituições, entre elas a Escola de Administração da FGV em São Paulo e a Universidade Chinesa de Hong Kong. Além de conhecer os Estados Unidos, a Europa e a China, os alunos brasileiros trabalham em equipe com os colegas desses países, pessoalmente e pela internet. “Assim como o brasileiro, o chinês valoriza muito o relacionamento interpessoal. Isso torna mais produtivo o trabalho em grupo”, diz o ex-aluno do OneMBA Eduardo Eid, de 41 anos, gerente de contas de uma multinacional da área de TI. “Por outro lado, eles são muito adeptos do planejamento, enquanto nós temos a cultura do imediatismo e do improviso.” Segundo Eduardo, a passagem pela China, que incluiu aulas e visitas a empresas em Hong Kong, Shenzhen e Guangzhou, mostrou parte dos desafios enfrentados pelo país. “A China depende muito de exportações e precisa desenvolver o mercado interno. Também dever investir na qualificação da mão de obra para produção de bens de maior valor agregado.” Outra escola brasileira no ranking do FT (85.ª posição), a Fundação Instituto de Administração (FIA) incentiva os alunos do MBA Executivo Internacional a fazer pelo menos dois estágios em escolas do exterior. A China é um dos destinos opcionais e, desde 2005, pelo menos 350 alunos foram para lá. “Eles conhecem o mercado, comportamento do consumidor, desafios econômicos e aspectos de negociação e legislação”, afirma o coordenador do curso, James Wright. Sócio de uma consultoria, Alberto Sansiviero Júnior, diz que conhecer a China durante o MBA na FIA mudou sua visão sobre competitividade e posicionamento estratégico. “Visitei diferentes escolas e vi como é alta a qualidade da formação de executivos por lá. Isso de certa forma tem permitido que a China se desenvolva mais rápido que outros países.” O Instituto Coppead de Administração, da UFRJ, também fechou parcerias com escolas chinesas para estimular o intercâmbio dos estudantes do mestrado em Administração (MBA em tempo integral). “Os executivos brasileiros podem aprender sobre dedicação, empenho, disciplina e um constante desejo de superação. Os chineses são negociadores hábeis”, destaca a professora Adriana Hilal, diretora associada de Relações Internacionais do Coppead. Por falar em negociação, o mineiro Assur Fernandes, de 28, se surpreendeu ao perceber que na China é mais comum fechar parcerias comerciais em restaurantes do que em escritórios. Segundo ele, o executivo chinês preza pelo bom guanxi – a versão deles para o que chamamos de networking. “Isso inclui sair para jantar e beber com eles”, afirma Assur, que passou o segundo semestre de 2012 na Universidade Jiao Tong, em Xangai. ONDE ESTUDAR: Confira: OneMBA: MBA Executivo realizado em parceria entre a FGV-SP e outras quatro escolas de negócios do mundo, entre elas a Universidade Chinesa de Hong Kong www.fgv.br/onemba,no MBA Executivo Internacional: Os alunos do curso da FIA devem fazer ao menos dois intercâmbios. Na China, as opções são as escolas Emlyon e Tongji (Xangai) e Sun Yat-Sen (Guangzhou) www.fia.com.br e ainda no Mestrado em Administração: Curso do Coppead/UFRJ tem parcerias com a Jiao Tong (Xangai), o Ceibs (Xangai, Pequim e Shenzhen) e a Shandong (Jinan) www.coppead.ufrj.br Acesso em http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,educacao-executiva-made-in-china,990261,0.htm

Educação executiva made in China ( No ESTADÃO).

Notícias > Educação: Programas que incluem intercâmbio em escolas do gigante asiático estão em alta no mundo. Por Carlos Lordelo (do Estadão.edu). A China é hoje o lugar mais “quente” do mundo para fazer um MBA Executivo, disse o jornal inglês Financial Times quando divulgou, em outubro, a última versão de seu tradicional ranking dos melhores programas do gênero. Segundo a publicação, muitos dos cursos top oferecidos no país asiático são operados em parceria com escolas de negócios de outros lugares, entre eles o Brasil. (Arquivo pessoal) Depois de ter aulas em Hong Kong, o ex-aluno do OneMBA Eduardo Eid foi a Pequim.
Executivos de todo canto viajam para a China em busca dos motivos que levaram o país a crescer a taxas astronômicas nas últimas décadas e a ocupar o posto de segunda maior economia do planeta. Também querem saber os desafios de administrar empresas por lá e de explorar um mercado consumidor de mais de 1 bilhão de pessoas. O aprendizado ocorre tanto nas universidades quanto nas visitas a companhias. Na 24.ª colocação do ranking do FT, o OneMBA vai mais longe. O curso é realizado em consórcio por cinco instituições, entre elas a Escola de Administração da FGV em São Paulo e a Universidade Chinesa de Hong Kong. Além de conhecer os Estados Unidos, a Europa e a China, os alunos brasileiros trabalham em equipe com os colegas desses países, pessoalmente e pela internet. “Assim como o brasileiro, o chinês valoriza muito o relacionamento interpessoal. Isso torna mais produtivo o trabalho em grupo”, diz o ex-aluno do OneMBA Eduardo Eid, de 41 anos, gerente de contas de uma multinacional da área de TI. “Por outro lado, eles são muito adeptos do planejamento, enquanto nós temos a cultura do imediatismo e do improviso.” Segundo Eduardo, a passagem pela China, que incluiu aulas e visitas a empresas em Hong Kong, Shenzhen e Guangzhou, mostrou parte dos desafios enfrentados pelo país. “A China depende muito de exportações e precisa desenvolver o mercado interno. Também dever investir na qualificação da mão de obra para produção de bens de maior valor agregado.” Outra escola brasileira no ranking do FT (85.ª posição), a Fundação Instituto de Administração (FIA) incentiva os alunos do MBA Executivo Internacional a fazer pelo menos dois estágios em escolas do exterior. A China é um dos destinos opcionais e, desde 2005, pelo menos 350 alunos foram para lá. “Eles conhecem o mercado, comportamento do consumidor, desafios econômicos e aspectos de negociação e legislação”, afirma o coordenador do curso, James Wright. Sócio de uma consultoria, Alberto Sansiviero Júnior, diz que conhecer a China durante o MBA na FIA mudou sua visão sobre competitividade e posicionamento estratégico. “Visitei diferentes escolas e vi como é alta a qualidade da formação de executivos por lá. Isso de certa forma tem permitido que a China se desenvolva mais rápido que outros países.” O Instituto Coppead de Administração, da UFRJ, também fechou parcerias com escolas chinesas para estimular o intercâmbio dos estudantes do mestrado em Administração (MBA em tempo integral). “Os executivos brasileiros podem aprender sobre dedicação, empenho, disciplina e um constante desejo de superação. Os chineses são negociadores hábeis”, destaca a professora Adriana Hilal, diretora associada de Relações Internacionais do Coppead. Por falar em negociação, o mineiro Assur Fernandes, de 28, se surpreendeu ao perceber que na China é mais comum fechar parcerias comerciais em restaurantes do que em escritórios. Segundo ele, o executivo chinês preza pelo bom guanxi – a versão deles para o que chamamos de networking. “Isso inclui sair para jantar e beber com eles”, afirma Assur, que passou o segundo semestre de 2012 na Universidade Jiao Tong, em Xangai. ONDE ESTUDAR: Confira: OneMBA: MBA Executivo realizado em parceria entre a FGV-SP e outras quatro escolas de negócios do mundo, entre elas a Universidade Chinesa de Hong Kong www.fgv.br/onemba,no MBA Executivo Internacional: Os alunos do curso da FIA devem fazer ao menos dois intercâmbios. Na China, as opções são as escolas Emlyon e Tongji (Xangai) e Sun Yat-Sen (Guangzhou) www.fia.com.br e ainda no Mestrado em Administração: Curso do Coppead/UFRJ tem parcerias com a Jiao Tong (Xangai), o Ceibs (Xangai, Pequim e Shenzhen) e a Shandong (Jinan) www.coppead.ufrj.br Acesso em http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,educacao-executiva-made-in-china,990261,0.htm

domingo, 27 de janeiro de 2013

para melhor visualização clique na imagem
para melhor visualização clique na imagem

sábado, 26 de janeiro de 2013

Projeto Estação Leitura: A leitura fora da escola!

Projeto do Mestrado UNISUAM com a Supervia empresta livros para quem deseja colocar a leitura em dia. O Projeto Estação Leitura é uma parceria entre o Mestrado em Desenvolvimento Local da UNISUAM com a Supervia, sob coordenação da Profª Maria Geralda de Miranda – Coordenadora do Mestrado e da Profª Vera de Abrantes – aluna do Mestrado. Trata-se de um projeto que funciona de maneira simples e eficaz para quem deseja colocar a leitura em dia, durante suas viagens de trem. Para pegar um livro emprestado, basta ir ao estande na estação de trem de Bonsucesso, procurar a simpática Profª Vera, preencher um formulário e pronto, é só escolher o título e deixar a imaginação rolar com uma boa leitura. A iniciativa visa promover a leitura para a cidadania junto à população trabalhadora, corroborando com o DNA da UNISUAM que está sempre trabalhando para o desenvolvimento das comunidades dos arredores de suas Unidades, promovendo a cultura que é fundamental para a autonomia intelectual e cidadania. Dias e horários de funcionamento do Estação Leitura: Terça-feira: das 7h às 10h30 Quinta-feira: das 15h30 às 18h30 Sexta-feira: das 15h30 às 18h30 Quem quiser abraçar o projeto e doar livros, basta procurar a Profª Vera no estande da Supervia, na estação de Bonsucesso, ou deixar a doação com a Érica, na Secretaria do Mestrado UNISUAM, que fica na Praça das Nações, 34. A leitura proporciona diversão, conhecimento e informação. Pegue um livro emprestado. É gratuito. A Leitura é para todos, aproveite! Fonte http://www.unisuamnews.com.br/projeto-estacao-leitura-a-leitura-fora-da-escola

JORNAL ATUAL: FAPERJ recebeu R$ 340 milhões para projetos científicos

PRESIDENTE DA Faperj, Ruy Garcia Marques, comenta que incentivos fez resgatar a credibilidade junto à comunidade científica. (FOTO DIVULGAÇÃO)
O ano de 2012 foi de superação nos investimentos em ciência, tecnologia e inovação. A Faperj (Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro) recebeu R$ 340 milhões do tesouro estadual para aplicar em projetos científicos. Se comparado a 2011, o repasse cresceu R$ 28 milhões. Considerando os recursos obtidos com parceiros, a fundação destinou R$ 376 milhões a pesquisas, superando o recorde do ano anterior, que era de R$ 357 milhões. – O aumento de recursos possibilitou que pudéssemos exercer mais fortemente a nossa atividade. Apoiamos também a recuperação da infraestrutura necessária para pesquisa nas instituições de ensino, o que é essencial para o estado retomar o lugar que lhe pertence na produção científica nacional – afirmou o presidente da Faperj, Ruy Garcia Marques. O total de recursos concedidos à Faperj obedece à constituição estadual, que determina repasse de 2% da arrecadação tributária líquida. Embora previsto na lei, o índice apenas começoua ser respeitado a partir de 2007. – A média de recursos concedidos de 2002 a 2006 era de apenas R$ 91 milhões por ano. Desde 2007, nos superamos a cada ano. Isso fez a Faperj resgatar a credibilidade junto à comunidade científica – disse Ruy Garcia. Entre os projetos apoiados em 2012, o presidente da Faperj destaca a produção de óleo diesel a partir de óleo de cozinha, criação de robôs que limpam tanques e tubulações, investimento em empreendedores individuais e até financiamento a espetáculos teatrais em universidades. Desde 2007, 150 editais foram lançados. Para este ano, 45 já estão aprovados pelo conselho da fundação. Além de reedições de editais, há propostas inéditas relacionadas a áreas estratégicas para o estado, como biotecnologia, serviços de internet, tecnologias sustentáveis, mídias digitais e estudo de temas relacionados à saúde e cidadania de pessoas idosas. Fonte http://jornalatual.com.br/portal/?attachment_id=36866

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

O Brasil precisa construir 130 mil bibliotecas até 2020 para cumprir a Lei 12.244

OCIMARA BALMANT - O Estado de S.Paulo. O Brasil precisa construir 130 mil bibliotecas até 2020 para cumprir a Lei 12.244, que estabelece a existência de um acervo de pelo menos um livro por aluno em cada instituição de ensino do País, tanto de redes públicas como privadas. Hoje, na rede pública, apenas 27,5% das escolas têm biblioteca. Para equipar todas as 113.269 escolas públicas sem biblioteca, seria necessária a construção de 34 unidades por dia, segundo um levantamento realizado pelo movimento Todos Pela Educação com base no Censo Escolar 2011. O estudo também faz uma comparação com números do Censo 2008 e mostra que, mesmo as escolas construídas nos três anos seguintes (foram 7.284 novas unidades) não contemplam o espaço: apenas 19,4% dessas novas instituições têm biblioteca. Os Estados mais carentes são os das Regiões Norte e Nordeste, que tradicionalmente têm infraestrutura escolar precária, com escolas que chegam a funcionar em construções sem energia elétrica e saneamento básico. Na rede municipal do Maranhão, por exemplo, só 6% das escolas têm biblioteca. O que destoa da lista, no entanto, é o aparecimento do Estado de São Paulo com um dos piores resultados do ranking, com 85% das unidades de sua rede pública (escolas estaduais e municipais) sem biblioteca. São 15.084 unidades sem o equipamento. Um enorme prejuízo, se considerado os resultados da edição 2012 da pesquisa Retratos do Brasil, que mostrou que, entre os 5 e 17 anos, as bibliotecas escolares estão à frente de qualquer outra forma de acesso ao livro (64%). A justificativa mais comum para desrespeitar a lei é a falta de espaço físico, já que muitas das novas escolas são construídas em terrenos apertados. No caso das unidades antigas, muitas deram outro uso para a biblioteca: boa parte virou sala de aula para suprir a demanda por vagas e, em outras, a área foi, aos poucos, se tornando um depósito, com computadores empilhados e livros empacotados. "Isso mostra que só a legislação não é suficiente, porque tem lei que realmente não pega", afirma Priscila Cruz, diretora do Todos pela Educação. Equívoco. Quando se analisa o déficit por nível de ensino, vê-se, ainda, que as instituições de ensino infantil são as mais prejudicadas: enquanto 82% das escolas de ensino profissional e 52% das de ensino médio construídas após 2008 possuem biblioteca, apenas 10% das de ensino infantil têm o espaço. Uma opção que é um contrassenso, argumentam os educadores, já que é na faixa etária dos 5 anos que a criança está descobrindo a língua escrita e tem de ser estimulada à descoberta e ao gosto pela leitura. No ensino médio, o estudante já teria acesso a outros ambientes de leitura. A mudança, afirma ela, depende de uma tomada de consciência pedagógica, que entenda a importância da biblioteca na aprendizagem coletiva e individual. "O descaso é tanto que, em alguns casos, a área se torna o local de castigo. A criança conversou na aula, é mandada para lá. Ler vira punição", diz Priscila. Para que a biblioteca escolar cumpra seu papel pedagógico, deve-se levar em conta do espaço físico à qualificação dos funcionários, passando pela qualidade do acervo e pelas atividades agendadas no local. O tamanho mínimo é de 50 m², o acervo deve contemplar a diversidade de discursos, é preciso que haja computadores conectados à internet e bibliotecário responsável. Desinformação. Além do desconhecimento dos parâmetros, falta informação sobre fontes de financiamento. "Muitos municípios desconhecem os recursos financeiros disponíveis para a implantação do equipamento", diz Christine Fontelles, diretora de educação e cultura do Instituto Ecofuturo. A organização lidera a campanha Eu Quero Minha Biblioteca, que busca mobilizar a sociedade civil e os gestores públicos para cumprirem a lei. No site, é possível encontrar informações sobre as ações federais voltadas ao assunto, como o Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE) e o Plano de Ações Articuladas (PAR). No município maranhense de Açailândia, a 560 km de São Luís, a biblioteca da escola Fernando Rodrigues de Souza nasceu há dois anos onde ficava o refeitório. Com acervo de 2.500 livros, são cerca de 300 empréstimos diários e 200 novos exemplares por ano enviados pelo Ministério da Educação (MEC). "Ainda é pouco para o tamanho da demanda, mas é um começo", diz Zeila Villar, a bibliotecária. Fonte http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,em-725-das-escolas-nao-ha-biblioteca-lei-preve-obrigatoriedade-ate-2020-,987556,0.htm

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Local e data: Rio de Janeiro - 30 de janeiro de 2013 - quarta-feira Público - alvo: Diretores, Coordenadores e integrantes de equipes que trabalhem em escolas de educação infantil, fundamental, média e profissional. Objetivos: - Conhecer todas as Diretrizes Curriculares Nacionais aplicáveis à educação básica e sua integração com o Plano Nacional de Educação e o Plano Nacional de Cultura - Analisar os reflexos das DCNs nos projetos pedagógicos, regimentos e programas de educação a distância - Analisar os aspectos específicos das Diretrizes aplicáveis à educação infantil, fundamental, média, profissional - Tomar ciência das DCNs para a Educação em Direitos Humanos e demais tópicos específicos. Informações: Tel: (21) 3905-0964 - instituto@ipae.com.br

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Moriá International Center

O Moriá International Center é uma instituição acadêmica que desenvolve programas de formação sobre temas relacionados à Biblia, História, Religião, Sociedade Israelense, Liderança e o estudo do idioma Hebraico. Os Cursos são ministrados em Português por renomados professores que lecionam em instituições internacionalmente reconhecidas em Israel e no mundo.
Os participantes de nossos cursos presenciais receberão certificação da Universidade Hebraica de Jerusalém, uma das mais prestigiosas universidades do mundo, que trabalha em cooperação integral com o Moriá International Center. http://www.moriacenter.org/

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

para melhor visualização clique na imagem
para melhor visualização clique na imagem

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Jovens estudantes e profissionais criam vídeos e sites que tiram as dúvidas de outros alunos

Lais Catassinni.
SÃO PAULO – A alagoana Larissa Maranhão, de 18 anos, entende que teve uma educação privilegiada. Quando terminou o ensino médio e fez a prova do Enem, a estudante recebeu nota máxima na redação. Não demorou muito para que começasse a ajudar adolescentes da mesma faixa etária a se prepararem para a prova com o blog Enem Red. “Comecei ajudando quem me procurava. Mandava uma proposta de redação por e-mail e depois respondia com comentários específicos”, ela conta. Larissa Maranhão (criadora do blog Enem Red FOTO: JF Diorio/Estadão).
Larissa faz parte de uma geração que está muito familiarizada com a tecnologia e que aprendeu a usar a internet e as novas mídias em favor da educação. “Tenho como aliado do meu trabalho o meio favorito de todos, que é a internet”, diz. O Enem Red, que em breve deixará de ser um blog para virar um site, possibilita que os estudantes enviem suas redações dentro dos temas propostos por Larissa e outros 12 professores, que então corrigem a redação e fazem observações pessoais aos alunos. “A procura pela nossa ajuda aumenta conforme o dia da prova se aproxima”, conta. Hoje, o blog também atende as dúvidas de matemática. Assim como Larissa, o estudante de engenharia Miguel Andorffy, de 22 anos, também levou para os meios virtuais o que aprendeu no colégio e na faculdade. Com o site Me Salva, ele publica aulas de matemática que produz em vídeo e ajuda a tirar dúvidas de alunos. “A demanda por aulas de matemática é muito grande. O nível de conhecimento é ruim, mesmo no nível superior”, afirma. Andorffy elabora as aulas em vídeo de maneira bastante simples, com papel e caneta. O site foca em conteúdos de matemática, física e química e tem também aulas específicas com os temas abordados no Enem. O estudante também sabe bem o que a nova geração busca. “São pessoas mais preparadas para esse meio. Elas nascem imersas nessa tecnologia e, por isso, têm uma aceitação maior do conteúdo online.” Tanto Miguel quanto Larissa estão dispostos a colocar seu conhecimento ao alcance de seus alunos, acostumados ao ambiente digital. “Acho que vai aumentar essa demanda por conteúdo online no futuro. O que vem é uma geração que quer mais agilidade e um acesso mais rápido às coisas, inclusive na vida acadêmica”, avalia Larissa. Resposta na hora. O site brasileiro Professores de Plantão também facilita o acesso dos alunos aos professores. Pela página, as pessoas conseguem encontrar alguém para tirar suas dúvidas. Cínthia Gaban, uma das criadoras do site, explica que a ideia surgiu a partir de um problema que ela mesma enfrentou. Na época, ela estava prestando uma prova de certificação para o mercado financeiro e não conseguia entender de jeito nenhum uma matéria de estatística que iria cair na prova. Eram 22h e não havia quem pudesse tirar suas dúvidas com o estudo. “Resolvi entrar na internet para encontrar um professor que pudesse me ajudar naquele instante e para minha surpresa não encontrei ninguém”, conta. Para resolver esse problema não só dela, mas de centenas de outros alunos com dificuldades semelhantes, surgiu o Professores de Plantão, que coloca os alunos em contato com estudantes de renomadas universidades brasileiras para tirar dúvidas com urgência. “Acreditamos que a tendência na educação de modo geral é conciliar ferramentas inovadoras que facilitem o aprendizado dos alunos sem perder qualidade de ensino.”, diz Cínthia. “A educação no mundo caminha em uma direção em que cursos, universidades e até museus são virtuais.” Fonte http://blogs.estadao.com.br/link/rede-de-ensino/

domingo, 20 de janeiro de 2013

CCE - PUC - Rio

Clique nas imagens para melhor visualização.

sábado, 19 de janeiro de 2013

UNISUAM 2013

Faça Pós UNISUAM: Os cursos de PÓS UNISUAM são ideais para você aprimorar-se acadêmica e profissionalmente e dar um upgrade em sua carreira. A UNISUAM oferece cursos para você atuar com sucesso no mercado de trabalho, com as mais diversas opções de temas e áreas de conhecimento, elaborando projetos e participando do gerenciamento.
Matrículas abertas para o CELEM: Não passe vergonha se enrolando no portunhol ou cantado we arde uou! O Centro de Estudo de Línguas Estrangeiras Modernas – CELEM já está com matrículas abertas para os cursos de Inglês, Espanhol, Francês e Italiano, com início das aulas em março.
UNATI UNISUAM abre inscrições: Estão abertas as inscrições para o Programa Universidade Aberta à Terceira Idade - UNATI nas Unidades Bonsucesso (Av. Paris, 72), Campo Grande (Rua Campo Grande, 1508) e Bangu (Rua Fonseca, 240). O projeto visa resgatar e ampliar o espaço de convivência, para idosos.
Mais um semestre se inicia e o Centro Cultural UNISUAM – CCULT traz inúmeras atrações: O centro cultural abriga, de 1 a 15 de março, a exposição “Woman”, do fotógrafo Bernardo Zirkheuer. A partir do dia 18, será a vez da exposição “Cristianismo Primitivo”, uma parceria entre CCULT, o curso de História UNISUAM e o Centro Cultural Jerusalém.
Inscrições abertas para o Vest UNISUAM 2013: As inscrições do Vest Tradicional UNISUAM para 2013/1 estão abertas e vão até o dia 01/02 (até 18h). A prova será realizada nas Unidades Bonsucesso, Campo Grande, Bangu e Jacarepaguá no dia 02/02/2013, sábado, às 14h. Informações completas em http://www.unisuam.edu.br

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Faça a sua pré-inscrição para a melhor Escola Aberta pela Internet no Brasil. Processo seletivo a partir de março 2013. Serão aceitos alunos originários do ENEM 2012 nos cursos de: •Administração •Pedagogia •Sistema de Informação. Localize o polo mais próximo. Acesso em http://esab.edu.br

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Processo seletivo para o Doutorado em Psicologia na UNIVERSO: 2013. 1

Informações em http://v3.universo.edu.br/mestrados/psicologia/ pelo e-mail: pgpsicologia@nt.universo.edu.br
Tel: (21) 2138-4926 ou na UNIVERSO com Fernanda Ribeiro na Secretária do Mestrado.

Processo seletivo para o Doutorado em Psicologia na UNIVERSO: 2013. 1

Informações em http://v3.universo.edu.br/mestrados/psicologia/ pelo e-mail: pgpsicologia@nt.universo.edu.br
Tel: (21) 2138-4926 ou na UNIVERSO com Fernanda Ribeiro na Secretária do Mestrado.

Processo seletivo para o Doutorado em Psicologia na UNIVERSO: 2013. 1

Informações em http://v3.universo.edu.br/mestrados/psicologia/ pelo e-mail: pgpsicologia@nt.universo.edu.br
Tel: (21) 2138-4926 ou na UNIVERSO com Fernanda Ribeiro na Secretária do Mestrado.