quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

FORMAÇÃO DOCENTE

FORMAÇÃO DOCENTE EM EaD: CRIAÇÃO DE UM CURSO DE METODOLOGIA DIDÁTICA PARA INSTRUTORES MILITARES

Renata da Rocha Pereira, Pedagoga formada pela UERJ,Oficial da Marinha de Guerra do Brasil,Especialista em Educação a Distância pelo SENAC-RJ


Dedico esse trabalho aos instrutores do Centro de Adestramento Almirante Marques de Leão, por sua dedicação e constante busca pela qualidade na formação dos militares da Marinha do Brasil.


RESUMO

Este trabalho apresenta o processo de criação de um curso de metodologia didática a distância para instrutores do Centro de Adestramento Almirante Marques de Leão, da Marinha do Brasil, objetivando a formação de docentes nessa modalidade de ensino, com garantia de qualidade e baixo custo para a Instituição.
Apresentadas as etapas de criação do curso, entende-se que para obter os resultados desejados, em uma fase de implementação, será necessário efetuar um trabalho de conscientização dos docentes para a efetiva participação em um curso na modalidade de ensino a distância.
Palavras-chave: Educação a Distância, Formação Docente e Metodologia Didática.


ABSTRACT

This composition shows the creation process of a distance teaching methodology course for Centro de Adestramento Almirante Marques de Leão’s instructors, Brazilian Navy, with purpose the teachers graduation in this kind of tranning. It guarantee quality and low cost for the Institution.
After the planning steps, to get the wished results, in a carry out fase insert, will be necessary aware teachers for an effective participation on a distance graduation course type.
Keywords: Distance Education, Instructors Formation and Teaching Methodology.

LISTA DE TABELAS/QUADROS

Tabela 1 – Caracterização do público-alvo 14
Tabela 2 – Nº de instrutores que participaram do treinamento de qualificação presencial por 2 anos....................................................................................................... 16
Quadro 1 – Cronograma de Atividades........................................................................... 22
Quadro 2 – Matriz de Conteúdos..................................................................................... 23


LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS

AVA Ambiente Virtual de Aprendizagem
CAAML Centro de Adestramento Almirante Marques de Leão
DENSM Diretoria de Ensino da Marinha
GruCAv Grupo de Controle de Avarias
MB Marinha do Brasil
NEAD Núcleo de Ensino a Distância
NTIC’s Novas Tecnologias da Informação e Comunicação
OM Organização Militar
SEN Sistema de Ensino Naval
SOEP Serviço de Orientação Educacional e Pedagógica

INTRODUÇÃO

A formação docente e a constituição dos saberes necessários ao exercício da sua prática constitui-se como tema urgente na sociedade do informacionismo, uma vez que serão os responsáveis pelo pensar, pelo conduzir e concretizar os projetos traçados para a educação. No modelo de sociedade atual, consideramos a possibilidade de utilização da tecnologia como meio de produção de conhecimento, principal “bem” na formação dos docentes que necessitam ressignificar sua prática para oferecer respostas válidas aos desafios que se apresentam.
Na sociedade do informacionismo, a investigação sobre as bases para a formação docente precisa estar alinhada com a demanda proveniente das novas tecnologias da informação e comunicação. Deste modo, o impacto que as NTIC’s causam na sociedade têm produzido, ao longo do tempo, novas formas de pensar e de agir. E é justamente acerca dessa transformação que deve ser concebida a formação docente.
Nesse contexto, a educação na modalidade a distância, com o uso da tecnologia, será apresentada ao longo deste trabalho como instrumento de revolução no que diz respeito ao acesso e à inclusão dos docentes em formação.
O Centro de Adestramento Almirante Marques de Leão (CAAML), Organização Militar (OM) da Marinha do Brasil (MB), enfrenta uma grande dificuldade no que tange à formação docente, tendo em vista que seu corpo docente é constituído de militares capacitados tecnicamente em uma área/especialidade, entretanto não possuem conhecimentos da parte didática e metodológica, a fim de possibilitar um melhor aproveitamento de uma turma, o que fundamenta a realização de vários cursos, palestras e treinamentos de qualificação durante todo o ano letivo, sem contar, no entanto, com a frequência em massa dos mesmos, pois estavam envolvidos em aulas e adestramentos.


JUSTIFICATIVA

A idéia desse projeto parte da observação das dificuldades enfrentadas pelos instrutores no exercício da prática docente1.
O Centro de Adestramento Almirante Marques de Leão (CAAML) possui atualmente cerca de 127 instrutores - militares que conduzem cursos de carreira, expeditos e especiais, com formação apenas técnica na disciplina que ministra - trabalhando em Niterói, na Ilha de Mocanguê, e em Parada de Lucas, no Grupo de Controle de Avarias (GruCAv).
O treinamento presencial, como vem sendo realizado, envolve custo financeiro elevado e requer o deslocamento dos instrutores do Grupo de Controle de Avarias (GruCAv) para a Sede, em Niterói, não atingindo deste modo, o quantitativo de participantes desejado, limitando-se à formação de poucos multiplicadores.
Graças à implementação da Educação a Distância via web pela Marinha do Brasil (MB), visando o desenvolvimento das atividades de seleção, formação, especialização, aperfeiçoamento e pós-aperfeiçoamento dos militares, abrangendo-os nos variados locais físicos com grande velocidade, simplicidade e baixo custo financeiro, será possível ofertar um curso de qualidade na modalidade a distância para os instrutores.
A possibilidade de implementação desse projeto contribuirá para a aquisição de novas competências pelos docentes, conceito entendido como a capacidade pessoal de compreender uma determinada situação e articular os saberes necessários à prática educativa, efetuando as transformações adequadas de modo que seja reconhecido pela capacidade de obter um resultado confiável e com qualidade (Biagiotti, 2004).
Uma vez que buscamos a qualidade dos cursos do Sistema de Ensino Naval (SEN), por meio da formação dos docentes, espera-se que com a implementação desse projeto, o instrutor sinta-se melhor qualificado para a aplicação prática dos conhecimentos construídos e experiência profissional adquiridos ao longo do curso, em prol da constante melhoria do ensino naval (Política de Ensino da Marinha – Anexo da Portaria 288/2004, do CM).

______________
1 O parágrafo único do artigo 24 da Lei 11.279 prevê que o desempenho de atividades docentes por parte de militares receberá a denominação de Instrutoria e obedecerá a normas específicas da Marinha.
3 OBJETIVOS
3.1 Objetivo Geral
A presente proposta de implementação de um curso a distância para os instrutores do Centro de Adestramento Almirante Marques de Leão (CAAML), objetiva, em termos gerais, qualificar ou manter os mesmos atualizados para o exercício da sua prática docente, utilizando a tecnologia educacional.
3.2 Objetivos Específicos
Ao final do curso, espera-se que os instrutores sejam capazes de:
• Promover o processo ensino-aprendizagem, por meio da utilização de metodologias e ferramentas pedagógicas modernas e inovadoras.
• Exercer uma ação didática que favoreça uma aprendizagem cooperativa, em que as atividades desenvolvidas com os alunos contribuam para o alcance dos objetivos constantes dos currículos dos cursos.


PÚBLICO-ALVO

O projeto contemplará todos os instrutores do Centro de Adestramento Almirante Marques de Leão (CAAML), que constitui-se no público-alvo almejado para participar do curso de metodologia didática na modalidade a distância.
Tabela 1 – Caracterização do público-alvo.
QUANTIDADE DE INSTRUTORES NÍVEL DE ESCOLARIDADE TEMPO DE INSTRUTORIA QUALIFICAÇÃO
127 • 02 com ensino fundamental;
• 80 com ensino médio;
• 25 graduados;
• 19 com pós-graduação; e
• 01 com mestrado. • 1 ano de instrutoria – 7%;
• 2 anos de instrutoria – 47%; e
• Mais de 3 anos de instrutoria – 46%. • Com curso de técnica de ensino- 72,44%; e
• Sem curso de técnica de ensino- 27,55%

Fonte: Serviço de Orientação Educacional e Pedagógica (SOEP), em junho de 2009.

META

Após 6 meses de trabalho previstos para a realização deste projeto, espera-se que seja possibilitada a formação em serviço de todos os instrutores, e a transformação de uma prática docente tradicional para uma construtivista.

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

A importância deste trabalho está fundamentada em pesquisas de teóricos sobre a formação docente, nos quais me apoiarei para o desenvolvimento desse projeto. Para isso, descrevo inicialmente como é regido o ensino na Marinha, já que o mesmo possui uma lei específica.
A Lei de Ensino da Marinha (Lei 11279, de 9 de fevereiro de 2006), dispõe no art 1º do Cap.I que “O ensino na Marinha obedece a um processo contínuo e progressivo de educação, com características próprias, constantemente atualizado e aprimorado, desde a formação inicial até os níveis mais elevados de qualificação, visando a prover ao pessoal da Marinha o conhecimento básico, profissional e militar-naval necessário ao cumprimento de sua missão constitucional”.
Considerando-se a realidade do Centro de Adestramento Almirante Marques de Leão (CAAML), temos instrutores, que no âmbito naval são denominados docentes eventuais, pois possuem uma carga horária de 20h semanais dedicadas ao ensino e acumulam tarefas administrativas, e apenas três docentes de dedicação exclusiva às atividades docentes. Tendo em vista que a instrução é atividade-fim, os instrutores buscam proporcionar o ensino profissional com qualidade de formação, sendo o mesmo destinado “à proporcionar a habilitação para o exercício de funções operativas e técnicas e para a realização de atividades especializadas”(art.6º do Cap. II da Lei 11.279).
O Centro de Adestramento Almirante Marques de Leão (CAAML) oferece cursos de especialização, “destinado à habilitação para o cumprimento de tarefas profissionais que exijam o domínio de conhecimentos e técnicas específicas”; aperfeiçoamento, “destinado à atualização e ampliação de conhecimentos necessários ao desempenho de cargos e ao exercício de funções próprias de graus hierárquicos intermediários e superiores”; especial, “destinado à preparação do pessoal para serviços que exijam qualificações particulares não conferidas pelos cursos de especialização e aperfeiçoamento”; e expedito, “destinado a suplementar a habilitação técnico-profissional do pessoal, conforme necessidade ocasional do serviço naval, tendo caráter transitório”, conforme previsto no inciso I, art.7º do Cap.II da referida lei.
Em consonância com as diretrizes e bases da educação nacional (Lei 9394/96), o ensino na Marinha baseia-se em princípios de profissionalização contínua e progressiva e efetivo aproveitamento da qualificação adquirida, em prol da Instituição e ainda prevê que seus cursos poderão ser ministrados a distância.
Em virtude da dificuldade em realizarmos uma capacitação continuada desses profissionais, e do surgimento a partir da última década da oferta de formação continuada de professores de forma mais sistematizada por meio da modalidade a distância, buscamos criação do curso nesta modalidade de ensino, o que significará um enorme alargamento das possibilidades que a Instituição possui hoje, de alcançar todos os instrutores, uma vez que os índices de participação e freqüência nos cursos anteriores são significativamente baixos.
Tabela 2 – Nº de instrutores que participaram do treinamento de qualificação presencial por 2 anos.
ANO Nº TOTAL DE INSTRUTORES Nº DE PARTICIPANTES
2007 (março) 156 21
2008 (março) 134 35
Fonte: Serviço de Orientação Educacional e Pedagógica (SOEP), em junho de 2009.
Para apresentar as principais referências teóricas sobre a questão da formação docente, utilizarei os estudos de Tardiff(2006), Blandin (1990), Perrenoud (1999). Para análise da metodologia do EAD, sob uma perspectiva sócio-interacionista, os estudos de Palloff (2005) e Ramal (1998) serão abordados.
O investimento na formação continuada dos instrutores é uma prática exercida pela Instituição, que acredita na aprendizagem dos discentes a partir de um contexto que envolve a busca por formar um docente que atue na perspectiva da concepção de interação e construção coletiva do conhecimento. Na proposta de formação sócio-interacionista, objetivamos a garantia de um desempenho do docente, que se mostra fundamental, tanto no acompanhamento dos instrutores participantes do curso, quanto da possibilidade de favorecimento da compreensão e comunicabilidade em todo o processo.
Considerando que a formação do instrutor configura-se como aspecto de suma importância no que diz respeito à formação dos sujeitos – educandos no espaço institucional, urge pensarmos nos saberes necessários à sua prática. Tardiff (2006) nos ajuda a pensar essa questão afirmando que a formação se constitui dos muitos e diferentes saberes produzidos pelo docente, enquanto sujeito sócio-histórico e cultural, e não apenas como técnico da educação.

Em suma, o professor ideal é alguém que deve conhecer sua matéria, sua disciplina e seu programa, além de possuir certos conhecimentos relativos às ciências da educação e à pedagogia e desenvolver um saber prático baseado em sua experiência cotidiana com os alunos. (Tardiff, 2006, p. 39)
Tardiff (2006) compreende os saberes docentes como: saberes da formação profissional, que são transmitidos pelas instituições de formação de professores, referente às Ciências da Educação e à ideologia pedagógica, deficiente no caso específico dos instrutores do Centro de Adestramento Almirante Marques de Leão (CAAML), saberes disciplinares, pertencentes às áreas de conhecimentos, saberes curriculares, correspondentes aos objetivos, conteúdos e métodos constantes dos programas escolares, e saberes experienciais, desenvolvidos pelos docentes em sua prática, no exercício de suas funções.
Blandin (1990) define quatro grandes áreas em que as competências de um docente precisam ser desenvolvidas: a cultura técnica (domínio mínimo da utilização das tecnologias de informação e comunicação, aplicadas à Educação); competências de comunicação (trata-se da comunicação interpessoal, que pode ou não ser mediatizada pelo uso e suportes informatizados); capacidade de trabalhar com método (sistematizando e formalizando procedimentos didáticos e instrucionais); e capacidade de “capitalizar” (apresentar os seus saberes e experiências, de forma que os outros aprendam).
Perrenoud (1999) traçou dez domínios de competências reconhecidas como prioritárias na formação contínua dos docentes. Destaco sua contribuição para este trabalho, quando descreve que o docente deve servir-se de novas tecnologias e gerir sua própria formação contínua. É preciso superar resistências e buscar a apropriação desses instrumentos, para utilizá-los em prol da atualização profissional permanente.
O surgimento das novas tecnologias da informação e da comunicação (NTIC’s) deram novo impulso a educação a distância, permitindo através da internet, formas alternativas de construção do conhecimento. Dentro de uma perspectiva sócio-interacionista, o uso das tecnologias permite uma relação com o outro, por meio das várias ferramentas que viabilizam a interação e permitem a construção do conhecimento. A educação on line com o emprego das novas tecnologias da informação e comunicação (NTIC’s) oferece as condições necessárias para que o processo de ensino-aprendizagem ocorra de modo eficiente e eficaz, mas, para que esse objetivo seja alcançado, há necessidade de que o curso seja estruturado com processos interativos que favoreçam a construção de um ambiente de conhecimento e colaboração entre os participantes, ambiente em que o professor possa orientar e acompanhar o aprendizado do aluno, ajustando a ajuda na construção de novos conhecimentos sempre que necessário.
A internet passa a ser considerada na mediação pedagógica, tanto na modalidade de ensino presencial como a distância, por meio de trabalhos colaborativos em rede, uso do chat, fórum, e-mail entre os alunos, dentre outras atividades. Segundo Palloff (2005) quando os alunos trabalham em conjunto, isto é, colaborativamente, produzem um conhecimento mais profundo e, ao mesmo tempo, deixam de ser independentes para se tornarem interdependentes. Nesse sentido, faz-se necessário o desenvolvimento de estratégias pedagógicas, presentes desde a concepção até a avaliação do curso, envolvendo interações entre o docente com os alunos e entre os alunos, visto que a aprendizagem ocorre fruto dessa rede de interações e construção/reconstrução de conhecimentos compatilhada.
Ramal (1998) define alguns “princípios básicos para aprender”, que devem ser considerados na educação contemporânea, com base na utilização de novas tecnologias, como a busca por uma aprendizagem permanente; assumir uma postura ativa; focar no desenvolvimento de habilidades e competências; buscar a formação integral; pensar de forma hipertextual; e pensar que cada indivíduo é parte integrante de uma inteligência coletiva.
A formação continuada dos instrutores, numa concepção sócio-interacionista, apresentar-se-á como uma alternativa de formar docentes numa perspectiva coerente com a postura/atitude que se espera dele em sala de aula. Ao docente cabe elaborar atividades que desafiam a tomada de decisão pelo aluno; sempre que possível, adequar objetivos e recursos visando que o aprendizado seja atingido, sempre em um clima de respeito mútuo e colaboração; atentar para a relação afetivo-emocional, com respeito às diferenças individuais, além de propiciar o contato entre os participantes do curso. Para tanto, há necessidade de um planejamento criterioso do conteúdo, bem como de estratégias de ensino, e é preciso também que esse planejamento seja do conhecimento do aluno.
Concluindo, percebemos que a educação a distância, mediada pelo uso da tecnologia, na sociedade do conhecimento, permitirá estimular a formação de bons profissionais; o trabalho em equipe, a autocrítica, o comprometimento e o desenvolvimento das habilidades profissionais necessárias ao exercício da função docente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você está livre para postar seus comentários, porém que não se justifiquem ataques de qualquer ordem ou natureza a terceiros. Vamos respeitar as contribuições que geram novos conhecimentos.

Postar um comentário